Tiago Aldeia
Perdeu a mãe no auge dos Morangos com Açúcar: «Tive uma guinada no peito»

Nacional

Tiago Aldeia abriu o coração a Daniel Oliveira para falar sobre a morte da mãe, que morreu quando o ator tinha 20 anos.

Sáb, 08/08/2020 - 16:04

Hoje tem 34 anos, mas aos 15 viveu um verdadeiro pesadelo. Na altura, Tiago Aldeia estava no seu auge enquanto Rodas da série Morangos com Açúcar quando a mãe foi diagnosticada com um cancro da mama. Acabou por morrer cinco anos depois, tinha o filho acabado de deixar a produção da TVI. Pela primeira vez, o ator falou publicamente sobre o assunto, na emissão deste sábado do programa Alta Definição.

Questionado por Daniel Oliveira sobre a origem da maturidade que sempre teve na adolescência, Tiago Aldeia começou por explicar que a mesma «vem de ter começado a trabalhar cedo e de coisas que acontecem na vida que fazem crescer mais rápido». «O facto de perder a minha mãe com 20 anos e de ter acompanhado uma doença prolongada durante a minha juventude fizeram-me ter alguma maturidade», especificou, frisando: «Nunca falei disto.»

Abrindo uma exceção, o ator revelou que o processo durou «cinco anos», pautados por vários altos e baixos. «Houve períodos em que se achava que estava tudo bem. Aí, respirava-se um bocadinho de alívio e vivia-se com uma maior leveza. Mas [havia] outros em que era um bocadinho complicado. Nunca acreditei que a fosse perder, efetivamente. Portanto, achava sempre que aquilo era uma coisa temporária. Até que aconteceu…», lamentou.

A viver o auge profissional, Tiago Aldeia «tinha uma coisa terrível a acontecer ao mesmo tempo». Hoje, «com distanciamento», fala em «algum sentimento de culpa». «Se calhar, se soubesse o que sei hoje, teria estado mais tempo com a minha mãe, a aproveitá-la. Se soubesse que iria acabar, em vez de ir jantar com os amigos, se calhar… Não é que não estivesse com ela, porque estava, evidentemente. Mas a vida é assim e as pessoas não sabem o que vai acontecer.»

A morte da mãe: «tive guinada no peito»

No programa da SIC, o intérprete recordou ainda o dia em que a própria mãe lhe contou que tinha sido diagnosticada com uma doença oncológica. «Contou com as palavras possíveis que teve na altura. Lembro-me de ela chegar a casa, sentar-se no sofá com um exame na mão e dizer-me que tinha cancro da mama», lembrou, acrescentando: «Apoiei e sempre acreditei que aquilo se fosse resolver.» Até porque, como o cancro teve «várias fases», «acabou por ser ter alguma ‘normalidade’, ou seja, criou-se a esperança de que, embora seja um processo, se iria resolver».

A mãe «nunca desistiu», nem mesmo nas suas últimas semanas de vida, já passadas na cama de um hospital. «Aí, tive de cair no colo dela. Disse o que consegui», disse, com as lágrimas a caírem-lhe pelo rosto.

A emoção tomou ainda conta do ator quando este recordou o momento em que a notícia da morte «foi sentida» pelo próprio: «Estava no hospital. Eu e a minha irmã saímos do quarto e fomos ao refeitório. Quando estava no refeitório, tive guinada no peito, um aperto… E o ‘beep’ da enfermeira tocou à minha frente.»

«Tenho uma estrela a acompanhar-me»

Volvidos praticamente 15 anos, Tiago Aldeia afirmou: «Sinto sempre que tenho uma estrela a acompanhar-me. Seja o que for, para quem acredita ou não, é uma defesa que se tem. E eu sinto efetivamente que tenho uma estrela a acompanhar-me. Tenho um profundo respeito, uma profunda admiração e gratidão por tudo o que ela fez por mim.»

Palavras que não indicam que o Ismael da novela da SIC Nazaré tenha lidado sempre de forma tranquila com o luto. «A perda é sempre um processo. Tem várias fases. Primeiro, revoltas-te, não queres aceitar. Depois, inevitavelmente, tens de aceitar. Depois, cai-te mesmo a ficha. Algumas vezes, parece que foi ontem. Outras vezes, parece que foi há uma vida…»

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: reprodução SIC e redes sociais

Siga a Revista VIP no Instagram