Um retrato para recordar os anos que passou à frente da Cruz Vermelha Portuguesa. Maria Barroso foi presidente daquele organismo de 1997 a 2003, ano em que deixou a presidência depois de uma acesa polémica com o ministro da Defesa, Paulo Portas. Mas, como águas passadas não movem moinhos, a mulher de Mário Soares prefere recordar apenas os momentos bons dos sete anos em que dirigiu a CVP.

“Gostei de todo o trabalho que lá efetuei. É uma grande instituição”, diz à VIP. Seguindo uma longa tradição, encomendou à pintora Graça Morais um retrato, destinado a um lugar na parede da sala D. João de Castro, no Palácio Conde d’Óbidos, em Lisboa, onde figura uma galeria de retratos dos ex-presidentes nacionais da Cruz Vermelha Portuguesa. “Fui eu que sugeri o nome da pintora. Sou amiga e fã do trabalho dela. Tenho quadros de Graça Morais em casa. Gostei imenso do resultado porque me revejo na pintura”, explica.

A pintura foi apresentada com toda a pompa e circunstância, na sede da Cruz Vermelha, no passado dia 27. Mário Soares e o filho, João Soares, fizeram questão de estar presentes na apresentação da pintura e de cumprimentar a artista. Para além de familiares e amigos da homenageada, participaram ainda na cerimónia os membros da Direção Nacional e órgãos sociais da instituição humanitária.

Texto: Sónia Salgueiro Silva; Fotos: Nuno Moreira

Siga a Revista VIP no Instagram