A relação de Archie com os filhos de William
São primos direitos, mas filho de Harry e Meghan tem de lhes fazer vénia...

Realeza

Archie, o filho de Harry e Meghan, não tem título real, ao contrário dos filhos de William e Kate, que são príncipes da coroa britânica

Seg, 27/05/2019 - 09:58

Nasceu há cerca de duas semanas, mas o novo bebé real de Inglaterra, Archie, filho do príncipe Harry e de Meghan Markle, não vai ser, para já, príncipe. Tal só acontecerá em quatro cenários remotos, mas possíveis.

O primeiro, e mais radical, contempla um cenário catastrófico em que, numa qualquer tragédia, sucumbissem todos os herdeiros ao trono e, nesse caso, Archie seria automaticamente rei de Inglaterra. O segundo decorreria por sucessão natural e, com a morte (ou abdicação) de alguns dos seus antecessores, o pequeno Archie ganharia automaticamente o grau de príncipe. O terceiro (e mais provável) seria a rainha conceder-lhe esse título por decreto real (esta é uma hipótese que não está afastada na atualidade). Por último, tal poderá acontecer ainda por alteração à lei sucessória que, em 1917, por via do então rei George V, impôs limitações à concessão desses títulos. 

Diferença de tratamentos

Para já, o pequeno Archie, nascido a 6 de maio de 2019, quatro dias depois do quarto aniversário da prima Charlotte, 14 dias após o primo Louis ter cumprido um ano de vida e 77 dias antes de George fazer seis anos, será conde de Dumbarton, uma cidade e porto da Escócia. Devido a esse estatuto inferior, Archie terá de fazer, de acordo com o protocolo, a vénia aos seus primos. Ah! E também cidadão norte-americano, pois sendo filho de uma natural daquele país, tem automaticamente dupla nacionalidade.

O filho recém-nascido do príncipe Harry e da duquesa Meghan terá, para já, muito mais liberdades do que os seus primos príncipes. Os especialistas britânicos em questões reais e sucessórias, consultados pela Imprensa do país, chamam a atenção para o facto do pequeno Archie Harrison Mountbatten-Windsor ser apenas o sétimo na linha de sucessão ao trono britânico e, por isso, vir a ter menos obrigações reais, tendo por isso mais liberdade nas escolhas ao longo da sua vida. Além disso, os seus antecessores na linha de sucessão ao trono são chamados publicamente pelo título seguido do primeiro nome e estarão para sempre associados à realeza britânica, o que não acontece com Archie. Tal poderá significar, segundo os analistas britânicos, que ele terá muito maior facilidade e sentir-se-á muito mais confortável a trabalhar no mundo dos negócios ou mesmo envolver-se ativamente em trabalho humanitário.

O nome Archie poderia já há muito estar escolhido pelos pais do bebé e aceite pela família real. Sabendo-se agora o nome escolhido por Harry e Meghan para o seu primogénito, é impossível não nos lembrarmos do episódio ocorrido em janeiro último, quando o primo mais velho do pequeno, George de Cambridge, afirmou, num encontro fortuito entre avós e netos, chamar-se Archie. Na altura, o episódio foi atribuído à traquinice do pequeno príncipe, mas agora fica levantada a dúvida, depois de se saber o nome do mais novo elemento da família real.   

Texto: Luís Peniche; Fotos: Reuters  

Siga a Revista VIP no Instagram