Príncipe André
«Entre a espada e a parede» após detenção da ex de Epstein

Realeza

Depois da detenção de Ghislaine Maxwell, o príncipe André está a ser «encostado à parede» pelo FBI para falar sobre o caso Epstein.

Sex, 03/07/2020 - 20:00

O príncipe André está numa verdadeira encruzilhada. O filho da rainha Isabel II está a ser pressionado pelo FBI para falar sobre o escândalo sexual de Jeffrey Epstein, que envolve o seu nome, e a situação piorou depois de Ghislaine Maxwell, a ex-namorada de Epstein, ter sido detida por suspeitas de envolvimento no caso.

«Gostaríamos de receber o príncipe André para conversar connosco, gostaríamos de ter o seu depoimento. Não tenho mais comentários a fazer além do que já disse, que as nossas portas estão abertas, como dissemos anteriormente, e gostaríamos de recebê-lo para que nos desse a oportunidade de ouvir a sua versão», afirmou Audrey Strauss, procurador dos Estados Unidos, em declarações ao The Guardian.

Segundo uma fonte próxima da Casa Real, os advogados do príncipe André já entraram em contacto com o Departamento da Justiça dos Estados Unidos da América por duas vezes no passado mês de junho.

Não é segredo que o ex-marido de Sarah Ferguson era amigo de Jeffrey Epstein e conhecido de Ghislaine Maxwell, e já foi acusado, por diversas vezes, de estar associado à rede de pedofilia e tráfico sexual do financista norte-americano, que morreu o ano passado na prisão, quando cumpria pena pelos crimes referidos.

Após a sua morte, as investigações do caso Epstein prosseguiram e o príncipe André foi até afastado dos deveres reais pela mãe, a rainha Isabel II, que não quer que o bom nome da Casa Real britânica esteja envolvido na polémica.

O príncipe André está a ser acusado por parte de Virgínia Giuffre, uma das vítimas, que alega que o irmão do príncipe Carlos a obrigou a ter relações sexuais, quando esta tinha 17 anos.

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: Reuters

LEIA AINDA: Documentário da Netflix conta história das vítimas do caso Epstein

Siga a Revista VIP no Instagram