Luís Norton De Matos
Passa um final de tarde diferente e romântico com a mulher

Famosos

“Ela tem sido a minha companhia e apoio”

Qui, 23/04/2015 - 00:00

De volta a Lisboa, depois de um ano a treinar o clube Grupo Desportivo de Chaves, Luís Norton de Matos encontra-se disponível para novos projetos na área que o apaixona: o futebol. Enquanto vive como “desempregado ativo”, o treinador aproveita para estar com a família. A VIP acompanhou o antigo jogador num final da tarde de passeio a velejar pelo Tejo, a convite da Sailing 4You, com a filha Maria, de 17 anos, e a mulher, Joana, por quem continua apaixonado após 22 anos de vivência em comum.

 

VIP – Fez com a sua mulher e filha um passeio de barco no Tejo. Gostaram da experiência?

Luís Norton de Matos – Adorámos. Fizemos o passeio graças à Sailing 4You. Um amigo de um amigo falou-nos da empresa e perguntou-nos se gostaríamos de fazer um passeio no Tejo e observar o pôr-do-sol. Ainda bem que o fizemos porque foi realmente uma experiência gratificante. Aconselho vivamente.

 

Foi um final de tarde diferente, em família. São importantes momentos destes?

Sabíamos que o dia ia estar sensacional, com calor e o mar calmo. Por isso, aceitámos logo esse convite.  

Joana Norton de Matos – Numas miniférias, aproveitar o bom tempo que está a fazer, e as condições que temos em Lisboa, é maravilhoso. Foi uma boa oportunidade de fazer este passeio à noite por Lisboa, porque está uma lua cheia lindíssima. 

 

O que gostaram mais do passeio?

LNM – Foi espetacular ver Lisboa de uma forma diferente, sobretudo para a nossa filha Maria, que fez pela primeira vez este passeio. O abraço da noite à cidade, testemunhada por uma lua quase cheia, a quietude das águas do Tejo e os acordes de guitarra de temas de Lisboa proporcionaram um momento inolvidável.

JNM – A Sailing 4You está a proporcionar um serviço de turismo excelente por Lisboa, para valorizar a cidade, pela visita que proporciona e pelas vistas.

 

Apesar de estarem com a filha adolescente, foi também um passeio romântico?

LNM – Um passeio nestas condições tem sempre uma forte componente romântica. E esse romantismo foi partilhado com enorme cumplicidade com a nossa filha.

 

O Luís tem uma família grande. É fácil ter momentos com a Joana a dois?

Tenho uma família grande, que às vezes exige alguma ginástica com timings e horários que nos permitam estar juntos. Mas com a Joana tenho tido o privilégio de ter muitos momentos a sós, porque ela tem sido a minha incondicional companhia e apoio nos últimos 22 anos.

 

Esteve a treinar o Grupo Desportivos de Chaves a época passada. Este ano está parado? O que tem aproveitado para fazer?

Estive a treinar o GD Chaves até dezembro, num contrato que era previsto cumprir até junho. A subida de divisão era o objetivo e ele ia ser alcançado de forma natural. Infelizmente, e apesar de estar a dois pontos do primeiro lugar em dezembro, fui dispensado. Mas os alicerces desse trabalho são fortes e a subida será uma realidade. Se isso não acontecer, então houve precipitação e irresponsabilidade na decisão tomada. A parte mais positiva desta experiência foi ter conhecido a região de Trás-os-Montes e a cidade de Chaves, que me trataram de uma forma absolutamente excecional. Gente hospitaleira que sempre me fez sentir em casa. 

 

Enquanto jogador e treinador, sempre viajou muito e passou muito tempo fora. Como é regressar a casa?

Depois de quatro anos a viver e trabalhar no Senegal com o projeto de futebol de formação – Étoile Lusitana –, e com a companhia da Joana e da Maria, vim para Portugal há três anos, onde estive no Benfica B e depois em Chaves. O estar no estrangeiro limitou muito a convivência com a restante família, mas eles também estão preparados para esse meu lado profissional e compreendem. As ausências reforçam o calor e a profundidade dos reencontros. Agora, vivo uma maior estabilidade familiar, com a minha presença em Portugal.

 

Leia a entrevista completa na edição número 

 

Texto: Sónia Salgueiro Silva; Fotos: Jorge Fernandes

Siga a Revista VIP no Instagram