Exemplos
O que é nacional é bom

Nacional

José Mourinho e André Villas-Boas são apenas dois exemplos de treinadores portugueses de sucesso no estrangeiro

Sex, 27/02/2015 - 00:00

Para sermos considerados um dos melhores do Mundo, não podemos estar em Portugal.” Quem o defende é Jorge Jesus, treinador do Benfica, para quem são necessárias conquistas além-fronteiras para ver o mérito pessoal reconhecido. Aos 61 anos, e com várias décadas de carreira, o treinador oriundo da Amadora nunca arriscou a sua sorte fora de Portugal. Porém, há quem o tenha feito e com muito sucesso, como é o caso de José Mourinho, que muitos consideram o melhor treinador do Mundo. 

 

  Desde 2004 que Mourinho, de 52 anos, nascido em Setúbal, soma conquistas atrás de conquistas, destacando-se as duas que conseguiu na Liga dos Campeões, o mais desejado troféu europeu de equipas. Na sua primeira aventura fora de Portugal, Mourinho assumiu-se como Special One, num confronto com a Imprensa inglesa quando era treinador do Chelsea. Agora, o português está de volta ao clube inglês, assumindo-se como Happy One. Tal como na primeira vez, Mourinho está em primeiro lugar no campeonato e a crítica antevê um grande ano para o Chelsea.

 

O sucesso de Mourinho e a forma como trabalha fez dos treinadores portugueses alvos apetecidos por grandes clubes europeus. André Villas-Boas, que já foi adjunto de Mourinho, é exemplo disso mesmo. Com apenas 37 anos, o jovem treinador já esteve ao serviço de clubes portugueses e ingleses. Atualmente é o treinador do milionário clube Zenit, da Rússia, onde lidera o campeonato nacional. É comum ver o seu nome associado a diversos clubes europeus.

 

Jesualdo Ferreira é já um habitué no que diz respeito a estar sempre com a mala pronta para mais uma aventura profissional longe de Portugal. Aos 68 anos, e quando muitos já antecipavam a sua reforma, o treinador aceitou o desafiou do Zamalek, o líder do campeonato do Egito, que era treinado por outro português, Jaime Pacheco. O português é visto como o homem certo para a conquista de mais um campeonato.

 

Já Vítor Pereira vive a segunda experiência longe do seu país. Depois do triunfo ao serviço do Futebol Clube do Porto, o treinador, de 46 anos, nascido em Espinho, aceitou o projeto do Al-Ahli, da Arábia Saudita. A experiência não correu como desejado e agora Vítor Pereira mudou-se para a Grécia, onde está a treinar o Olympiakos, que é líder do campeonato.

 

Por sua vez, Paulo Sousa é um dos treinadores portugueses, a trabalhar no estrangeiro, do momento. Depois de uma carreira brilhante enquanto jogador, o antigo internacional, de 44 anos, apostou na carreira de treinador. Passou pelas camadas jovens da Seleção Nacional e por diversos clubes ingleses. Seguiu-se o campeonato húngaro, onde ganhou uma Taça da Liga, e o israelita, onde foi campeão nacional. Atualmente, Paulo Sousa é o treinador do Basileia, da Suíça, onde lidera o campeonato, sendo também uma das maiores surpresas da exigente Liga dos Campeões.

Existe ainda outro português que tenta deixar a sua marca longe dos relvados, mas perto da realidade do futebol. Trata-se de Luís Figo, que é um dos candidatos à presidência da FIFA. Apesar do forte apoio, o ex-jogador, de 42 anos, tem a complicada missão de destronar Joseph Blatter, que preside, desde 1998, o organismo que rege o futebol mundial. 

 

Texto: Bruno Seruca; Fotos: Impala, Reuters e DR

Siga a Revista VIP no Instagram