Pedro Carvalho
“O amor não se procura, acontece”

Famosos

Pedro interpreta Paulo em O Beijo do Escorpião e revela que interpretar
um homossexual é um desafio estimulante

Sex, 25/07/2014 - 00:00

Foi na série juvenil Morangos com Açúcar que ficou conhecido. Desde então, Pedro Carvalho conta já no currículo com oito novelas na TVI, todas elas com papéis muito fortes. A sua personagem Ângelo, em Remédio Santo, valeu-lhe a atribuição de dois troféus de televisão. Porém, o desempenho que está a ter na novela O Beijo do Escorpião, onde interpreta um homossexual, transformou-o no ator do momento.

VIP – Paulo Furtado é a personagem que está a dar que falar, apesar de a homossexualidade já ter sido abordada noutras novelas. Em que é que este papel se distingue?
Pedro Carvalho – Estes assuntos já são retratados há muito tempo, mas não desta forma tão masculina, já que o Paulo é um homem viril, sem tiques. Não é a orientação sexual que o define e é esta a mensagem que queremos passar.

As gravações deixam-no confortável ou já houve alguma cena mais complicada?
Tento não pensar muito nas coisas. Este é o meu trabalho e eu abraço os desafios, fazendo tudo para dar credibilidade às personagens. Quando chego ao estúdio, visto o papel e não pode haver pudores, pois as pessoas, em casa, têm de acreditar na história.

O público tem reagido bem?
Sim. Sempre fui muito abordado na rua e, neste momento, estão a passar várias telenovelas em que participo. Mas esta está a ter um impacto maior. Eu tenho uma página oficial no Facebook, da qual sou responsável, e é impressionante a quantidade de pessoas que fazem likes. Isto é reflexo da boa aceitação por parte do público.

Que comentários costuma receber?
Recebo mensagens que me emocionam, de indivíduos com diferentes orientações sexuais. Dizem que, nas cenas que eu faço, encontram força para enfrentar problemas no trabalho e do dia-a-dia.

Já ouviu comentários homofóbicos?
Sim, já recebi comentários na rua e na minha página. Já várias pessoas me abordaram para dizer que a homossexualidade é uma doença mental e que os homossexuais deviam ser todos exterminados. Por outro lado, quando isso acontece no Facebook, surgem logo várias pessoas a contestar, defendendo que quem diz isso são os ignorantes.

Na novela, Paulo Furtado não se assume como gay por ter como melhor amigo um homofóbico. Isto retrata a realidade?
A homofobia é uma doença. Um homofóbico puro, se calhar, é um homossexual escondido. A história da personagem vai dar uma volta e as pessoas vão perceber o que é um homofóbico. Nesta vida, todos procuramos amor e aceitação por parte dos amigos, da família, do companheiro ou da companheira. Esta novela retrata muito isso.

Que conselho daria a quem vive esta situação?
Cada pessoa é um mundo de emoções completamente distinto. O importante é que cada um se sinta completo e bem consigo mesmo. Não só em relação a este tema, mas a tudo o que se relaciona com a vida privada.

E no futuro, o que podemos esperar de Pedro Carvalho?
A nível profissional pretendo continuar a trabalhar como ator e desejo que me sejam dados sempre estes desafios difíceis, que me fazem crescer. A atribuição deste género de papéis demonstra que a estação de televisão e as pessoas envolvidas confiam no meu trabalho.

Texto: Nuno Dias; Fotos: Luís Baltazar; Produção: Zita Lopes;
Cabelo e maquilhagem: Ana Coelho com produtos Maybelline e L'Oréal Professionnel

Siga a Revista VIP no Instagram