Nuno Graciano
«Dei mãos e braços a colegas que depois cagaram para mim»

Nacional

Sempre sem referir nomes, o ex-apresentador de televisão explica porque é que foi afastado do pequeno ecrã.

Sáb, 27/01/2018 - 14:57

Em maio de 2016, Nuno Graciano foi afastado da CMTV. O apresentador conduzia as manhãs do canal de cabo ao lado de Maya quando, por motivos que nunca foram publicamente esclarecidos, abandonou a estação do Correio da Manhã.

Agora, em entrevista ao «Alta Definição», da SIC, Graciano fala sobre esse momento.... sempre sem referir nomes. «A minha inocência foi toda de uma vez, infelizmente. Foi de uma brutalidade que eu não estava à espera, de uma injustiça atroz», recorda.

O ex-apresentador, que tem agora um negócio ligado à área dos lacticínios, disse que foi uma opção pessoal conduzir formatos televisivos acompanhado.

«Sempre fui buscar pares, por opção minha, muitas vezes convencendo direções que fazia mais sentido. Com isso perdi dinheiro, e nao me arrependo de nada disso. Dei mãos e braços a colegas que depois cagaram para mim. E isso é uma mágoa que eu tenho. Não acho justo, nao acho correto», confessou. 

Os motivos da saída de Nuno Graciano nunca são explicados mas, a Daniel Oliveira, o ex-apresentador referiu, em vários momentos, estar magoado. »Fui muito massacrado, ultimamente. Fizeram-me mal. Machucaram-me, achincalharam-me... tentaram-me destruir. Porquê? Não sei, acho que nunca saberei, mas tentaram-me destruir. E eu tive que me reinventar.»

Nuno Graciano reconheceu que, depois de ter sido afastado do pequeno ecrã, passou «muitas noites a chorar, no sofá de casa». «Pela injustiça, por gajos que são sanguinários, que fazem mal às pessoas, por capricho, por poder». 

 

«Tive ajuda financeira de amigos meus»

 

«Tio Careca», a marca de produtos regionais que lançou depois de ter ficado desempregado, foi a solução que encontrou para continuar a sustentar a família. Pai de quatro filhos, Nuno Graciano explicou que estava determinado a não baixar os braços. «Podia ter ficado em casa, numa cadeira à espera, mas eu disse 'não me vão destruir'. Eu tenho responsabilidades, tenho quatro filhos fantásticos que tenho de criar e a quem tenho de dar o exemplo», contou.

A transição de estrela de TV para empresário - admite - foi dolorosa. «Os meus filhos viram-me passar de apresentador de tv para andar a carregar caixas de queijo no meu carro. Os meus filhos não acreditaram, pensavam que era uma brincadeira. nao era, era a minha forma de ganhar dinheiro». Nuno Graciano admitiu também que chegou a ter de recorrer ao auxílio de pessoas próximas. «Tive ajuda financeira de amigos meus».

 

As saudades da TV

 

Em 2018, Graciano comemora 25 anos de carreira televisiva. Um percurso que começou na TVI e passou pela SIC até, em 2013, à mudança para a CMTV. Uma profissão à qual acredita que, um dia, vai voltar e da qual sente falta, como admitiu no «Alta Definição». Tenho algumas saudades de alguns colegas nossos. tenho saudades do feedback. Fui outro dia ao programa da Fátima Lopes e, desde que saí do estúdio até que cheguei a casa fui a chorar copiosamente. E eu nem sabia pq é que estava a chorar. Depois percebi 'estou a chorar com saudades'», explicou. 

Graciano admitiu que tem «saudades de comunicar« e de «fazer companhia às pessoas». Apesar da nova vida como empresário, o «Tio Careca» acredita que, um dia, vai voltar à televisão. E explica porquê: «há muito poucos bons profisisonais, homens, em televisão. Manuel Luís Goucha e Daniel Oliveira, Não vemos mais nenhum de excelência. Acho que tenho capacidade para trabalhar muito bem». 

«Eu sei que um dia vou voltar a ser uma mais valia. Enquanto o meu patrão, que é o público, achar que eu não sou descartável, é uma questão de tempo», afiançou. 

 

Quer recordar os melhores momentos da vida e carreira de Nuno Graciano? Clique aqui

 

 

 

Siga a Revista VIP no Instagram