Vânia Naia
“Nunca pensei ficar tão derretida ao sentir a bebé mexer”

Famosos

A atriz aguarda, em conjunto com Alexandre Ferreira, a chegada de Olívia, a primeira filha do casal

Sex, 27/03/2015 - 00:00

É para junho que está previsto o nascimento da primeira filha de Vânia Naia, de 31 anos, e Alexandre Ferreira, de 38. O nome da bebé já está escolhido, mas a pesquisa pelo nome ideal demorou os mesmos anos que têm de relação: quatro. A decisão final chegou no momento em que souberam qual era o sexo da criança. O casal de atores conta à VIP como têm sido vividos estes meses que antecedem ao nascimento de Olívia. 

 

VIP – Um ano e meio depois do vosso casamento esperam a vossa primeira filha. Como está a ser gerir as emoções?

Vânia Naia – Ainda é um bocadinho estranho, porque é tudo novo. Conforme as coisas vão acontecendo, vamos ficando surpreendidos: “Ah! Isto é assim.” É uma aventura gira.

 

Têm sido momentos de descoberta?

VN – Sim e de partilha.

Alexandre Ferreira – Tudo na nossa relação tem sido muito natural. Foi muito natural encontrarmo-nos, namorarmos, ficarmos noivos, casarmos... e este passo está a ser igualmente natural. Nada surpreende de uma forma desesperada. São tudo surpresas agradáveis.

 

Mas está a ser modesto, porque a Vânia revelou que o Alexandre chorou quando soube da novidade que ia ser pai... 

AF – Claro que chorei, emocionei-me, porque é um projeto a dois, que vai passar a ser a três. Ter um filho, uma filha neste caso, é um sonho antigo que tínhamos e já contávamos que fosse acontecer. 

VN – Foi planeado. Quisemos fazer tudo como mandam as regras.

Vânia, como tem corrido a gravidez?

VN – Está a correr bem. Há coisas que vou descobrindo, que acontecem e que eu não sabia que aconteciam, mas que fazem parte.

AF – Eu acho que ela não tem tido surpresa nenhuma, porque está sempre a dizer: “Eu disse que ia ser em outubro e foi em outubro”; “Eu disse que ia ser uma menina e foi uma menina.” Portanto, acho que não está a ter grandes surpresas.

VN – É mais em termos fisiológicos.

 

Tem sentido mais fome?

VN – Por acaso, esse tipo de coisas não me acontece. Não tive náuseas nem vómitos.

 AF – Ela diz que não tem desejos. De facto, nunca teve daquelas coisas de às quatro da manhã me pedir para ir buscar melancia do Japão, mas, de vez em quando, tem momentos em que, de repente, lhe apetece muito arroz de pato.

 

Está elegante. Não vai aproveitar para fugir um pouco à linha?

VN – É melhor não (risos), depois custa a recuperar. Vou comer o que me apetecer dentro do que o médico me recomendou.

AF – A Vânia continua a fazer exercício físico todos os dias, com algumas restrições médicas. Não se põe a correr, mas faz caminhadas.

 

Já sentem a bebé mexer, nesta altura...

VN – Já e é uma sensação muito gira. Nunca pensei ficar tão derretida ao sentir a bebé mexer. Desde a passagem de ano que sinto.

 

Quando sentiu a bebé mexer pela primeira vez foi quando pensou: “Agora sim, sou mãe!”?

VN – Na realidade, quando senti a primeira vez, não sabia o que era. Sentia como se estivesse qualquer coisa a empurrar. E o Alexandre perguntava: “Mas isso não será o bebé?” Eu achava que um bebé não se mexia assim. Fomos ao médico numa consulta de rotina, expus a situação e o médico disse que era o bebé. “Ah, então isto é que é.” Era com pouca frequência, mas, agora, todos os dias, ou o dia inteiro, vou sentindo. Acho que ainda não caí em mim que vou ser mãe, só quando a tiver nos braços é que vou pensar: “Grande responsabilidade, agora é que vai ser.”

 

A maternidade costuma trazer uma luz diferente às mulheres. Sente-se ainda mais bonita?

AF – A Vânia sempre foi bonita e sempre será, não há nada a fazer.

VN – Tão querido... Mas não me sinto nem mais bonita, nem menos bonita; sinto-me igual. Sinto-me mais especial por estar a carregar algo que nós criámos. Há dias, alguém me disse: “Já estás com cara de mãe.” Mas isso é bom? É mau? Não sei. Eu olho-me ao espelho e, de cara, vejo-me a mesma pessoa, porque o corpo muda imenso. 

 

Mas está a gostar de ver a barriga crescer?

VN – Sim, é muito giro. Depois volta tudo ao normal e só nos restam as fotografias.

 

Leia a entrevista completa na edição número 923 da VIP. 

 

Texto: Helena Magna Costa; Fotos: Luís Baltazar; Produção: Romão Correia; Cabelo e maquilhagem: Vanda Pimentel com produtos Maybelline e L'Oréal Professionnel; 

Siga a Revista VIP no Instagram