O principado do Mónaco é, provavelmente, o sítio do Mundo onde existe a maior concentração de luxo e glamour. No reduzido espaço de 1,95 quilómetros quadrados é possível encontrar os carros mais potentes, as embarcações mais vistosas e um conjunto de pessoas que deixam um rasto de elegância por onde passam. Isto faz com que o Mónaco seja um dos mais desejados, caros e luxuosos destinos de férias.

Porém, este principado nem sempre foi assim. Aliás, quem o conheceu antes de 1949, diz que nada mais havia do que “oliveiras e abrigos de pescadores”. O grande responsável pelo boom de crescimento do principado, que faz fronteira com França e Itália e que fica situado entre os Alpes e o Mediterrâneo, foi Rainier.

O príncipe construtor

O reinado de quase 56 anos do príncipe Rainier mudou por completo o aspeto e fama do Mónaco. Aliás, o empenho de Rainier valeu-lhe o cognome de Príncipe Construtor. Mesmo assim, e apesar da sua área física ter aumentado em 20 por cento durante o reinado do pai de Alberto, Carolina e Stéphanie, o principado tem apenas uma área semelhante à do Central Park, em Nova Iorque. Não obstante, em nada é inferior à luxuosa Riviera francesa. Deste modo, o Mónaco tem para oferecer aos seus visitantes um misto de belas paisagens com praias idílicas e uma variedade imensa de comércio, que apenas está acessível às carteiras mais abastadas. Entre os seus encantos, destaca-se o famoso Casino de Monte Carlo, hotéis de luxo, mansões e apartamentos de sonho e inúmeras opções culturais. Além disso, não nos podemos esquecer dos reputados eventos que ali têm lugar, como o Grande Prémio do Mónaco de F1, que atrai várias estrelas mundiais ao
principado.

Os amantes de cultura não podem deixar de visitar o Palácio Real, bem como os seus jardins e a Catedral do Mónaco, local onde estão sepultados os corpos de Rainier e da eterna princesa dos
contos de fadas, a diva Grace Kelly. Outros dos locais de visita obrigatória são o Museu Oceanográfico, cuja direcção esteve em tempos a cargo do mítico Jean Jacques Cousteau e ainda o Jardin Exotique, que detém uma vasta coleção de plantas de todo o mundo.

No que ao alojamento diz respeito, quando se trata do Mónaco, podemos dizer que se trata de um luxo ao alcance de poucos. O espelho desta viagem de sonho são os hotéis Paris e o Hermitage, habitualmente frequentados pelo jet set internacional. O luxo do Mónaco passa igualmente pela alimentação, pois é neste principado que se encontra um dos mais afamados restaurantes
do mundo. Trata-se do restaurante Louis XV, dirigido pelo chef Alain Ducass e.

Paraíso fiscal

Além das finanças, a maior parte da economia monegasca gira em torno do sector imobiliário. As duzentas empresas de construção civil são a força motriz da economia. À parte disto, o turismo é a principal fonte de rendimento do principado. Ao todo, existem cerca de 2500 quartos que acolhem, em média, 225 mil visitantes anualmente. Um dos maiores atractivos do Mónaco continua a ser a sua fama de “paraíso fiscal”, pois os investidores não estão sujeitos a impostos. Quando visitar o Mónaco, não se deixe iludir pelo relevo montanhoso do principado. 

Para visitar este local não necessita de alugar um automóvel, já que tem ao seu dispor uma funcional e prática rede de elevadores que possibilita ao menos apto (fisicamente) dos visitantes alcançar o mais recôndito dos locais.


Texto: Bruno Seruca; Fotos: Thinkstockimages

Siga a Revista VIP no Instagram