Aos 27 anos, a jovem atriz vive dois momentos distintos atualmente. Se nas cenas do remake de Gabriela, a angústia e o sofrimento falam mais alto na hora de viver um amor proibido com Mundinho Falcão (Matheus Solano), inimigo político de seu avô Ramiro Bastos (Antônio Fagundes), em casa com a família, a hora é de boas notícias: Luiza, vive muito bem com o marido, o empresário Alberto Blanco, e a filha Maria Luiza, ou Malu, de quatro anos, que está a combater uma dramática luta contra uma leucemia diagnosticada no início deste ano. A princípio desvia a conversa quando o assunto é a filha, mas acaba por revelar a alegria que sente desde que recebeu as melhores notícias dos médicos de Maria Luiza. “Basicamente, ela está ótima. Terminou a parte principal e mais pesada do tratamento e está numa fase de vigilância, que dura um ano e meio. Mas já voltou para casa e estamos muito felizes”, conta a mãe, orgulhosa da sua filha que tem demonstrado uma resistência de campeã. As duas são, e sempre foram, muito ligadas. Cantam juntas e nos passeios no parque todos os detalhes são fotografados pela mãe-galinha. A pequena Malu é uma menina sorridente e brincalhona. E só não gosta de novelas. “É muito fácil de entender, pois quando eu digo que estou a ir para o trabalho, estou a ir para a novela”, explica Luiza que, entre uma e outra cena recebe chamadas da filha. Malu enche a mãe de perguntas: “Mãe, ainda estás na novela? Já saíste da novela? A que horas chegas a casa?”, conta Luiza. “A minha filha sente ciúmes da novela”, conclui.

Luiza Valdetaro diz que nunca viveu um amor proibido como o de Gerusa e Mundinho, mas reconhece que o amor por Alberto foi o primeiro e foi arrebatador. “Nós nunca fomos de fazer planos. Começámos a namorar porque gostávamos um do outro. Eu achava que só seria mãe depois dos 30 e queria primeiro ter tudo estabelecido na minha vida para só então ter um relacionamento sério com alguém. Nós optamos, mas a vida vai-nos dando escolhas diferentes... Ele foi a primeira pessoa por quem me apaixonei, que eu amei”, declara Luiza, 17 anos mais nova que o marido. Luiza tem 27 e Alberto 44 anos e a atriz considera esta diferença de idades natural. “Hoje não existe tanto esse preconceito. Ao contrário sim, quando a mulher é mais velha. Mas em geral a mulher amadurece antes do homem. O homem tem de sair muito, ter muitas mulheres, tem de se cansar para escolher e resolver que quer uma opção de família. No nosso caso damo-nos muito bem e ele ainda continua a ser o ‘moleque’ da relação e eu é que sou a velha”, diverte-se. “Casei-me com um homem de 40 anos e às vezes tenho de lidar com problemas de ‘moleque’ de 18. Ele quer ir surfar nas ondas do Havai”, explica Luiza, que prefere a corrida como exercício e ginásio, a aventurar-se numa prancha de surf. “É muito cansativo. É remar, remar, remar, para descer três segundos de onda e ter de remar tudo de novo. Eu não quero”, remata.

Para compor o novo personagem a atriz preferiu não ver muitas cenas feitas por Nívea Maria, na primeira versão de Gabriela, em 1975. “Vi pouca coisa, umas três cenas no Youtube, só para ter uma referência, saber quem era a Geruza. Não gosto de ver alguém a fazer o que terei de fazer, pois contamina, perde um pouco a criatividade”, explica Luiza Valdetaro. A jovem atriz recebeu um recado carinhoso de Nívea. “Ela disse que o personagem foi muito especial na vida dela e me desejou toda a sorte do mundo”, contou. E gostou que o novo trabalho fosse uma novela de época. “Quando se tem uma época, quando o conceito, o sotaque, as regras são diferentes, é melhor que um do tempo atual, pois este é mais fácil de se confundir. E agora, quando visto a roupa e fico pronta para gravar, já sou um pouco a Geruza”, afirma. Luiza estreou-se nas novelas em 2003, como a Gabi, em Celebridade. De lá para cá foram mais seis novelas. E agora, em Gabriela, faz um amor impossível, pela primeira vez. “Com o amor do Mundinho, a Geruza descobre-se, pois até então ela aceitava tudo, não tinha nenhum motivo para ripostar. Vivia comodamente dentro dos critérios da época. E, a partir desse amor, começa a questionar-se. Deixa de ser uma menina e torna-se mulher. Uma vez apaixonada, sai do lugar comum e entra nesse grande desafio, num caminho sem volta”, opina.

Sempre em forma, nos seus 1,67 m e 53 kg, Luiza Valdetaro é a sua própria nutricionista. E sabe que não pode comer de tudo. “Comer de tudo? Isso não existe. Quem fala, mente. Ah, se todas as atrizes comessem tudo o que desejam! Não sigo uma dieta, mas faço dieta, que é restringir calorias. É policiamento mesmo”, diz a aplicada aluna de uma academia carioca, que chega a trocar várias fatias de pizza por uma simples salada.

Ocupada com as gravações de Gabriela, Luiza e o marido Alberto ficam “de olho” nos feriados para fazerem uma viagem à Europa. “Nunca fui a Portugal e estou louca para conhecer Lisboa. Amo o vinho português e a culinária portuguesa é muito atrativa, com o bacalhau, os frutos-do-mar. E quero ver de perto as lindas paisagens. O meu marido já foi e fala muito bem do país, ele ama Portugal. Estamos a planear essa visita e muitas outras, pois estou louca para conhecer o Mundo inteiro. Se pudesse ter uma outra profissão, seria a de ‘viajante’. Temos o sonho de comprar um barco e dar a volta ao Mundo”, revela Luiza. E, já que o assunto é o futuro, conta mais uma “pérola” da sua filha. “Quando perguntamos à nossa filha o que ela vai ser quando crescer, a resposta está na ‘ponta da língua’: “Cabeleireira, astronauta e médica.” E não tem dúvidas, diz que vai ter as três profissões. Eu digo-lhe que é ótimo assim e que é bem viável” (risos). E é claro que Malu vai saber enfrentar tantos desafios diferentes. Afinal, ela tem a quem puxar.

Texto: Marcos Salles; Fotos: Lino Rodrigues

Siga a Revista VIP no Instagram