Meghan e Harry
O erro que lhes saiu caro: Duques perdem negócio milionário

Realeza

Meghan Markle e o príncipe Harry estão a atravessar o primeiro entrave ao desejo de se tornarem financeiramente independentes da Casa Real.

Ter, 21/01/2020 - 09:18

Meghan Markle e o príncipe Harry registaram em junho de 2019 a marca Sussex Royal e a sua fundação "Sussex Royal, The Royal Foundation of Duke and Duchess of Sussex", no Reino Unido, para poderem comercializar produtos como camisolas, porta-chaves, canecas, joias e outros objetos alusivos ao casal real e angariarem outro tipo de fundos para as instituições que apoiam. Durante um período de seis meses, Meghan e Harry tiveram a oportunidade de registar a mesma marca noutros países e torná-la assim uma propriedade única e absoluta. 

No entanto, os duques de Sussex não o fizeram e correm agora o risco de perder o «monopólio de merchandising» dos produtos que criaram. Isto porque existem várias empresas na Europa e na América que estão a registar a mesma marca e a vender os mesmos produtos, monopolizando assim grande parte do mercado. Segundo dados divulgados pelo Escritório de Propriedade Intelectual da União Europeia, [EUIPO], é possível verificar que existem diversas marcas com o nome "Sussex Royal" e "Meghan Markle" associadas a produtos cosméticos, joias, acessórios, artigos de desporto e bebidas alcoólicas. 

Jared Folgeson, um dos empresários que registou a marca Sussex Royal, contou ao jornal britânico The Sun quais as suas motivações para o fazer e revela que quis «dar uma lição aos duques de Sussex para prestarem mais atenção ao que fazem», deixando assim uma indireta para o facto de, recentemente, terem abdicado dos deveres reais. 

Indemnização por direitos de imagem pode chegar aos 400 milhões de euros

Não se sabe ao certo se os pais de Archie, de oito meses, vão avançar com um processo legal de direitos de imagem, que, segundo o The Guardian, pode refletir-se numa indemnização de 400 milhões de euros, mas será certamente um processo demorado que poderá dar muitos prejuízos aos duques de Sussex. Enquanto isso, as marcas norte-americanas e europeias continuam a monopolizar o comércio dos produtos alusivos aos duques. 

Este descuido de Meghan e Harry é o primeiro entrave ao desejo de se tornarem financeiramente independentes da Casa Real. Os valores das vendas de merchandising são um dos principais rendimentos de sustento da fundação Sussex Royal, que agora deixa de ser financiada pela família real britânica. 

Meghan e Harry estão a atravessar uma fase de transição e entre março e maio de 2020 deverão desassociar-se definitivamente da Casa Real e deixar de cumprir as suas obrigações para com a rainha de Inglaterra. Será essa a data em que os dois deverão dividir o seu tempo entre o Reino Unido e o Canadá e começar a desenvolver projetos fora do seio da realeza. 

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: Reuters

 

VEJA AINDA: Emocionado, Harry quebra o silêncio: «Afastei-me da minha família para poder dar um passo em frente»

LEIA TAMBÉM: Meghan Markle interessada em mansão de 24 milhões de euros no Canadá

Siga a Revista VIP no Instagram