Meghan e Harry
Arrasados por Piers Morgan: «Aproveitadores, chorões e miseráveis»

Realeza

Piers Morgan responde às acusações de que tem sido alvo por parte de Meghan e Harry e arrasa os duques de Sussex sem «papas na língua».

Seg, 13/01/2020 - 20:00

Meghan Markle e o príncipe Harry anunciaram recentemente que pretendem abdicar dos deveres reais, notícia que abalou a Casa Real e os britânicos, que se mostraram indignados e revoltados com a decisão tomada pelos duques de Sussex.

O jornalista britânico Piers Morgan tem sido um dos maiores críticos das atitudes dos pais de Archie, de oito meses, e para ele esta situação foi «a gota de água».

Em entrevista ao Daily Mail, o jornalista não poupou nas críticas e arrasou por completo os duques de Sussex, principalmente Meghan, acusando-os de ser «vitimizarem» e de serem «egoístas e chorões», e defendendo a imprensa britânica.

«Estão a abandonar a família real e os seus deveres porque são chatos»

«Tudo se resume ao racismo, sexismo, bullying e, claro, à sua saúde mental. Sim, os pobres oprimidos, vulneráveis e inocentes Meghan e Harry têm sofrido de um problema chamado vitimização, como convém ao casal mais sensível e desajeitado do mundo!», começou por afirmar.

Segundo Piers Morgan, os duques de Sussex «estão a abandonar a família real e os seus deveres porque são chatos». O casal quer continuar a viver como verdadeiras estrelas da realeza e querem «que os contribuintes britânicos continuem a financiar o seu estilo de vida de luxo.»

«Estão a tratar a rainha Isabel II de forma vergonhosa e desrespeitosa»

«Meghan e Harry estão a tratar a rainha [Isabel II] de uma forma vergonhosa e desrespeitosa. Quando a Meghan chegou à família real, foi revelado que era de “raça mista” e sempre foi recebida de braços abertos pelos britânicos e pela Casa Real, que se mostraram tolerantes e multiculturais», continuou, acrescentando que a duquesa de Sussex foi muito elogiada e muitos britânicos consideraram-na a «lufada de ar fresco» de que a realeza precisava.

«Não via a imprensa e o povo tão unido e alegre desde que a princesa Diana foi anunciada como a namorada do príncipe Carlos», disse.

O jornalista fez questão de referir que a rainha Isabel II fez de tudo para que Meghan se sentisse confortável e a maior prova disso foi o casamento dos duques de Sussex, em maio de 2018. Uma cerimónia que envolveu princípios de realeza e também costumes e tradições da cultura norte-americana.

«Como é que, depois de tudo, eles ousam tentar impor a lei à nossa monarca de longa data desta maneira? Como é que eles ousam não informá-la sobre as suas intenções antes de as partilhar com o mundo?». Esta é a maior crítica que Piers Morgan faz aos duques de Sussex: «a falta de consideração pela rainha de longa data, «que tem feito um trabalho maravilhoso.»

«Foi 'racista' da minha parte dizer que os duques eram hipócritas?»

Meghan e Harry acreditam que a imprensa britânica tem vindo a «atacar» o casal por esta ser extremamente racista para com a duquesa de Sussex, que tem descendência africana. Em resposta a estas acusações, o jornalista britânico acusa os duques de Sussex de serem mentirosos e usarem o tema «racismo» como forma de vitimização.

«Foi 'racista' da minha parte criticá-los por «abandonarem» o pai de Meghan, Thomas Markle, depois de ele estúpida, mas ingenuamente, ter conspirado com papparazzi?

Foi 'racista' da minha parte expressar desânimo e preocupação com tantas histórias que surgiram, envolvendo a família, amigos e o ex-marido de Meghan, que a acusaram de «abandonar» as pessoas quando já não lhe interessavam?

Foi 'racista' da minha parte achar bizarro o facto de terem escondido ao máximo os detalhes do nascimento e batizado de Archie dos britânicos, que pagam pelas suas vidas luxuosas?

Foi 'racista' da minha parte dizer que os duques eram hipócritas por se dizerem cuidadosos e preocupadas com as pegadas de carbono e alterações climáticas e andarem sempre a viajar de jatos particulares?

Foi 'racista' da minha parte considerar um histerismo autodestrutivo a guerra incessante que criaram com os media, depois de tantas notícias positivas sobre os dois?

Finalmente, é 'racista' da minha parte recordar a maneira como os duques trataram a rainha de forma deplorável e cruel, dada a idade [93 anos], dada a doença do seu marido, Filipe, de 98 anos, e dadas as mais recentes polémicas que envolvem o seu filho, o príncipe André, no escândalo sexual de Epstein?

Não. Nada disto é racista. Podem não concordar com todas ou algumas das minhas críticas, mas são perfeitamente justificáveis, e é por isso que muitos outros as fizeram também. Não tenho nenhum problema com a Meghan por causa da cor da pele ou do género.

Tenho muitos problemas com a maneira como ela se comporta e trata as pessoas desde que se casou com o Harry!», justifica Piers Morgan em entrevista à mesma publicação.

«Tristemente cheguei à conclusão de que a Meghan é uma alpinista social, egoísta, cruel, aproveitadora, que passou a vida a usar e a largar as pessoas e está a fazer o mesmo com a realeza. E o Harry é fraco, chorão e miserável. Camilla, Diana e Fergie [Sarah Ferguson] foram muito mais criticadas que Meghan e da última vez que verifiquem, eram brancas», acrescentou.

«Ao falarem em Racismo, ridicularizaram as verdadeiras vítimas de racismo»

Piers Morgan aproveitou ainda para lamentar a forma como os duques de Sussex atacaram os órgãos de comunicação social, que se limitaram a fazer o seu trabalho e a informar os britânicos sobre os mais recentes acontecimentos da realeza, como sempre aconteceu. Para o jornalista, a grande diferença é que Meghan e Harry têm vindo a quebrar, por diversas vezes, o protocolo real e não há forma de amenizar algo que foram eles que «produziram».

«A realidade é que foram os próprios [Meghan e Harry] que produziram esta situação feia e deveriam, de alguma forma, encontrar força para admitir que isto nada tem a ver com racismo, mas sim com os seus egos frágeis e com as suas lutas ferverosas criadas no seio da família real, principalmente com os duques de Cambridge, que um dia serão rei e rainha de Inglaterra».

«Ao falarem em Racismo nesta situação, os duques de Sussex ridicularizaram as verdadeiras vítimas de racismo. È uma vergonha para eles e para todos aqueles que promovem esta vitimização grotescamente falsa», terminou.

De recordar que o príncipe Harry reuniu esta segunda-feira, dia 13 de janeiro , com o príncipe Carlos, o príncipe William e a rainha Isabel II [a linha de sucessão direta ao trono de Inglaterra] no sentido de arranjar uma solução para a decisão tomada pelos duques de Sussex.

O Palácio de Buckingham já emitiu um comunicado onde revela as decisões que foram tomadas. Saiba tudo aqui.

Meghan Markle não esteve presente. A mãe de Archie está no Canadá e poderá ter entrado em contacto com a Casa Real via telefone ou por vídeo-conferência.

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: Reuters

VEJA AINDA: As 7 regras que podem impedir a renúncia aos deveres reais

Siga a Revista VIP no Instagram