Mariza
Recorda drama da gravidez: "O meu filho não era para existir"

Nacional

Mariza recordou as dificuldades que passou durante a gravidez e os problemas que passou após o nascimento do filho Martim.

Dom, 29/11/2020 - 09:07

Mariza recordou as dificuldades que passou durante a gravidez e após o nascimento do filho. Martim, hoje com 9 anos, está de saúde plena, mas os primeiros meses de vida foram pautados por "imensas complicações". "Não vou dizer que foi um processo fácil", contou a fadista a Manuel Luí Goucha no programa "Conta-me", exibido este sábado, 28 de novembro. 

Até completar o primeiro ano de vida, Martim passou por vários tumultos no que diz respeito à saúde. A cantora falou da operação ao coração. "Teve de estar ligado a uma máquina de respiração articifical [devido aos pulmões]. Foi para casa com oxigénio", rememorou.

Até ao dia em que a intérprete de "Ó Gente da Minha Terra" decidiu, por vontade própria, que o filho não mais precisava de apoio para respirar. "Umas semanas antes [de celebrar um ano de idade], tomei a decisão de lhe tirar o oxigénio sem falar com médico nenhum", contou. Mariza foi questionada, na altura, sobre a sua atitude pelos profissionais de saúde que acompanhavam Martim, ao que artista respondeu: “O filho é meu, a responsabilidade é minha”.

Depois vários exames, os médicos acabaram por atribuir razão à cantora. "Conhece o seu filho melhor do que todos nós", disse-lhe a médica que, na altura, era seguida pelo serviço de Pneumologia do Hospital Santa Maria. "Hoje o caso do meu filho é dado como exemplo no hospital e alguma mães depois da decisão que eu tomei, sentem-se inspiradas e tentam", afirmou ainda. 

Mulher de fé, Mariza admitiu ter passado por períódos em que questionou a sua crença em Deus, mas o nascimento do seu filho, fruto da relação já extinta da cantora com o empresário António Ferreira, dissipou essas dúvidas. "O meu filho não era para existir", confidenciou a Manuel Luís Goucha.

"Preciso de ti", diz Mariza

A gravidez da cantora for, também atribulada e revelou-a ao anfitrião do programa de entrevistas da TVI.

"Enquanto estive no hospital, eu perguntava todas as noites… falava imenso com a minha barriga. Apesar do Martim não ter muito líquido amniótico, tinha o mínimo para sobreviver. Mexia imenso. À noite parecia que ele mudava a mobília de sítio. Quando não se te muito líquido amniótico, percebe-se muito os contornos do bebé. E eu dizia: ‘Martim, pelo amor de Deus, para que a mamã já não aguenta, mas, sabes, estou aqui ansiosamente à tua espera. Preciso de ti. Preciso de te conhecer. Eu sei que tu és forte e eu também vou ser por ti", recordou.

Texto: Alexandre Oliveira Vaz; Fotos: Redes Sociais

Siga a Revista VIP no Instagram