Marco Costa quer fazer uma peregrinação a Fátima
«É a minha vontade e vou fazê-lo um dia»

Nacional

Homem de fé, Marco Costa enche-se de lágrimas ao falar do pai que perdeu há 11 anos. A fé ajuda-o a superar a dor, mas há uma vontade que ainda deseja cumprir.

Qui, 16/05/2019 - 21:00

Marco Costa, de 28 anos, esteve no lançamento do novo livro de Fátima Lopes, «Fátima: O meu caminho, a minha fé». Religioso, confessou-nos que «tem a sua fé» e que gostaria de fazer uma peregrinação sozinho. 

«Tenho uma grande amizade, um grande carinho e, acima de tudo, uma grande admiração pela Fátima. Quero estar presente em todos os momentos da vida dela, nos bons, nos muito bons, nos menos bons… Fazia todo o sentido estar aqui», começa por dizer. 

O ex-concorrente da Casa dos Segredos confessa-se um homem de fé e não põe de lado a hipótese de caminhar até à Cova da Iria, mas quer fazer o caminho sozinho. 

«Tenho a minha fé, não sou o homem mais praticante, mas tenho a minha fé. Tenho as coisas em que eu acredito e, sempre que posso e à minha maneira, vou fazendo as minhas rezas», conta.

Sobre a vontade de peregrinar, Marco conta: «Já tenho há muito tempo». «Não tenho a vontade de ir ao mesmo tempo de todos. Tenho vontade de o fazer sozinho, sem que esteja tudo preparado. É a minha vontade e vou fazê-lo um dia. Tenho muita vontade de o fazer ainda este ano», revela. 

Com dois livros nas bancas, uma presença constante no programa da TVI, A Tarde é Sua, e com uma nova loja prestes a abrir, Marco Costa considera que tem muito para agradecer. «Eu sou crente e é uma maneira de eu agradecer a minha caminhada e tudo o que de bom tem acontecido na minha vida.»

O pasteleiro conta sempre com uma «ajuda» e, com as lágrimas nos olhos, confessa que acredita que o pai (que morreu há 11 anos) está a olhar por ele e e apoiá-lo.

«É uma ajuda… É tudo com muita luta. Acredito muito no meu pai e sei que, onde quer que eu me meta, mesmo que eu bata com cabeça está lá a mão dele para não doer tanto», diz com a voz embargada. 

António Costa morreu em 2008, na sequência de uma broncopneumonia gravíssima. O pai de Marco Costa teve uma vida difícil, marcada pela toxicodependência e por atividades ilícitas. Apesar de ter vivido quase toda a sua vida sem o pai, o marido de Vanessa Martins nutre um grande carinho pelo progenitor, tendo feito uma tatuagem do rosto dele no corpo, no ano da sua morte.

Projetos pessoais e profissionais a caminho

No que toca ao local da próxima loja ainda está tudo «no segredo dos deuses». «Quando estiver aberta está aberta. Até lá, eu tenho a fé à minha maneira e acredito nas coisas à minha maneira. Quem não sabe, não estraga. Às vezes não é vontade de estragar, mas às vezes basta o agouro não propositado… O silêncio. Isso é saber fazer o silêncio e quando tiver de ser será», refere. 

O pasteleiro justifica este segredo: «A minha primeira loja era para abrir em setembro e só abriu em outubro. Há coisas que não dependem só de nós. É acreditar que quando tiver de abrir abre». 

A nova loja é um grande passo para o pasteleiro. «Sai do Centro Comercial Amoreiras porque o projeto cresceu. É muito bom poder dizer que o espaço já era pequenino. No fundo, o que vou fazer é abrir asas para um ninho maior.»

Os segredos do sucesso são «gestão, organização e confiança nas pessoas que tem ao seu lado». Pessoas essas que o permitem ter viajado com a mulher até Marraquexe, Marrocos, na semana passada. 

«Tenho a minha família toda ao meu lado que me permite sair. Tenho a minha irmã Soraia que é o meu braço direito e ela olha para o meu negócio bem melhor do que eu. As férias também são importantes para ganhar força para o que aí vem. Foram curtas, mas souberam super bem.»

Por fim, questionado pelo desejo de ter filhos, Marco Costa é bem direto na resposta: «Bebés é outra coisa que quando aparecer sabem, quando estiverem cá fora já sabem». 

Texto: Mariana de Almeida; Fotos: Tito Calado e Reprodução Instagram

Siga a Revista VIP no Instagram