Juan Carlos
Um avô orgulhoso, mas distante: Rei emérito foi afastado de Leonor e Sofia para as proteger

Realeza

O rei emérito Juan Carlos foi afastado das netas, a princesa Leonor e a infanta Sofia, para proteger as filhas dos reis de Espanha dos escândalos que o envolvem.

Dom, 09/08/2020 - 12:05

O rei emérito de Espanha tem estado no epicentro do sismo que se faz sentir na Casa Real espanhola, mas a verdade é que, apesar de todas as polémicas que o envolvem e de não ter sido o «pai perfeito», Juan Carlos é um avô babado e preocupa-se bastante com os netos.

A falta de proximidade entre a princesa Leonor, a infanta Sofia e o avô paterno sempre foi muito discutida pela imprensa espanhola - e até mesmo internacional -, principalmente depois de o pai de Felipe VI ter faltado ao primeiro discurso da herdeira da Coroa espanhola, na cerimónira do Prémio Princesa das Astúrias, em outubro de 2019. A ausência de Juan Carlos foi sentida e fez correr muita tinta, mas segundo os mais entendidos em realeza, todo este distanciamento teve uma razão de ser.

A princesa Leonor e a infanta Sofia são as netas mais novas do rei emérito e eram muito pequeninas quando os escândalos financeiros e amorosoa que o envolvem começaram a «assombrar» a Casa Real. Quando as filhas de Felipe tinham seis e quatro anos, respetivamente, Juan Carlos partiu a anca durante uma caçada no Botswana, quando estava acompanhado por Corinna Larsen. Este foi o acontecimento que desencadeou todas as outras polémicas que o envolvem e o rei emérito começou, aos poucos, a perder o respeito dos súbditos. 

Dois anos depois da queda, Juan Carlos decide abdicar da Coroa - no dia 2 de junho de 2014 - e passa toda a responsabilidade para o filho Felipe VI, assumindo assim o papel de rei emérito. Mais tarde,  em 2018, a operação Babel, que investigava a corrupção política em eEspanha e que decorria desde 2010, «atira» Iñaki Urgandarin, o genro de Juan Carlos, para a prisão.

No mesmo ano, alguns aúdios do comissário Villarejo a conversar com Corinna Larsen vieram a público e a imagem do rei emérito ficou manchada quando este foi acusado de pagar comissões ilegais na adjudicação das obras de ligação do comboio de alta velocidade entre Meca e Medina, na Arábia Saudita. Em causa estão vários milhões de euros que foram transferidos para uma conta de Corinna na Suiça. Na conversa, dá para perceber que Corinna serviu como «testa-de-ferro» de Juan Carlos para fazer chegar ao destinatário as comissões ilegais.

Perante todas estas polémicas, os reis Felipe VI e Letizia decidiram que seria melhor afastar as filhas dos escândalos do avô, decisão à qual o marido da rainha emérita Sofia não se opôs, uma vez que está ciente da importância que tem, principalmente nesta fase mais complicada, afastar Leonor de tudo o que de menos bom aconteceu no seio da família real espanhola, uma vez que será esta a futura rainha de Espanha.

Esta estratégia de afastamento mantém-se, principalmente porque Juan Carlos continua a ser investigado pelos tribunais espanhóis e suiços. Recorde-se ainda que a última vez que Juan Carlos foi visto publicamente com as netas foi no dia 30 de janeiro de 2018, data em que Leonor foi condecorada pelo pai com o Tosão de Ouro. Na altura, foi possível ver o rei emérito muito emocionado e orgulhoso da futura monarca.

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: Reuters e Casa Real Espanhola

VEJA AINDA: Princesa Leonor rouba protagonismo a Letizia: Herdeira já ocupa lugar da rainha

LEIA TAMBÉM: Juan Carlos: revelado o mistério sobre o paradeiro do rei emérito de Espanha

Siga a Revista VIP no Instagram