Hélio Pestana
Bate palmas na plateia do novo programa da TVI

Nacional

Hélio Pestana participou na segunda série de Morangos com Açúcar, em 2004, e há pouco tempo voltou a ser notícia devido às acusações de perseguição e ameaças de morte a uma antiga paixão.

Sáb, 19/10/2019 - 10:29

Hélio Pestana ficou conhecido após participar na segunda série de Morangos com Açúcar, em 2004, e em maio deste ano voltou a ser notícia por ter sido «internado compulsivamente» no Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, depois de ter sido acusado de perseguição.

Agora, Hélio Pestana parece já ter recuperado, após ter realizado vários tratamentos, e está de regresso à televisão. O ex-moranguito é um dos figurantes que faz parte do público do programa de Pedro Fernandes, na TVI, Ver P'ra Crer.

Hélio tem aparecido com bastante frequência na plateia da equipa de Rita Salema, com quem se chegou a cruzar em Morangos Com Açúcar.

A queixa de perseguição 

Na altura em que o internamento foi tornado público, foi também revelado que esta medida tinha sido tomada após uma professora de dança ter feito uma queixa de perseguição contra o ator à Polícia Judiciária. De acordo com uma fonte, a vítima, a quem Hélio Pestana terá feito a vida num inferno durante vários meses, tendo chegado a ameaçá-la de morte, levou-a a mudar de locar de trabalho.

O ator de 34 anos foi, a pedido da família, internado numa clínica psiquiátrica. No entanto, esta não é a primeira vez que o ator é internado por motivos psiquiátricos. Em 2013, um desgosto amoroso atirou-o para uma cama da ala psiquiátrica do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde ficou um ano.

Na altura, o Correio da Manhã avançava com a informação de que o processo contra o moranguito tinha sido arquivado no início do ano devido aos sucessivos internamentos. O tribunal teve em conta «o carácter diminuto da culpa do arguido» devido à doença mental de que sofrerá, alegadamente. Hélio Pestana está ainda obrigado ao pagamento de 300 euros à Associação de Apoio à Vitima (APAV) e proibido de contactar com a vítima. Está também obrigado a frequentar um programa de prevenção de condutas de perseguição específicas. 

No interrogatório, feito em abril de 2017, o ator de Morangos com Açúcar admitiu ter uma «fixação pela ex-colega desde os 15 anos». No entanto, garantiu, à PJ, que «não tinha qualquer intensão de fazer mal à vítima» e que «sofreu um desgosto quando soube que a ex-colega tinha tido filhos».

Texto: Redação WIN - Conteúdos Digitais; Fotos: Impala e DR

Siga a Revista VIP no Instagram