Joana Teles
“Fiquei muito feliz por ter casado grávida”

Famosos

Ao quinto mês de gestação, a apresentadora aguarda serena o nascimento do segundo filho, desta vez uma menina

Qui, 22/11/2012 - 00:00

 A poucos dias de celebrar o segundo mês de casada, a apresentadora da RTP falou à VIP sobre a cerimónia íntima que a uniu ao gestor Pedro Costa Lopes. Joana Teles partilhou ainda as emoções da gravidez, mas mostrou-se mais reservada a falar sobre o filho mais velho, que prefere manter longe dos olhares do público.

VIP – Está de cinco meses. Foi uma gravidez planeada?
Joana Teles – Planeada e muito esperada. Um sonho realizado por nós. O primeiro sintoma que tive foi numa aula de RPM que gostava muito de fazer. Comecei a sentir muita fraqueza. Passados poucos dias, comecei a sentir uns enjoos muito ligeiros e pensei que talvez fosse melhor fazer o teste (risos). Fiz questão que o Pedro estivesse comigo e ficámos os dois a olhar um para o outro sem saber o que dizer.

Alguma vez pensou casar grávida?
Sempre achei que, se acontecesse, ia gostar muito, ou então casar e ter a bebé pequenina comigo. Por isso, fiquei muito feliz por ter casado grávida. De uma forma ou de outra, ela esteve no nosso casamento, na minha barriguinha.

Teve de fazer adaptações ao vestido?
O vestido já estava tratado e era lindíssimo, da Micaela Oliveira. Era muito justo, tipo sereia, champanhe, com rendas. Obviamente que em julho, agosto quando fui fazer a prova, faltava um “bocadão”. Em conjunto com a Micaela escolhemos outro que se adaptasse à medida que a barriga ia crescendo. Foi engraçado, porque no dia antes do casamento o vestido já não servia (risos), lá andaram as senhoras costureiras numa lufa-lufa e consegui levar aquele, ainda que já com alguma dificuldade, mas ninguém percebeu.

Os convidados sabiam que estava grávida?
Não, só a família nuclear. A maior parte dos amigos não sabia e foi no casamento que souberam. Fiz um vídeo especial para o Pedro, sobre ele, sobre nós e terminei com uma frase. Depois a imagem passava a negro e só se ouvia o coraçãozinho da bebé e aparecia a imagem da ecografia. Depois levantei-me ajustei o vestido para perceberem. Foi uma surpresa para todos.

O casamento foi como sonharam?
Foi literalmente à nossa semelhança. Nós somos muito discretos, muito low profile. Apesar de trabalhar nesta área, não gosto de fazer muitos alaridos, vai contra a minha personalidade. Foi num dia especial, quando fez sete anos que nos conhecemos, mais ao final da tarde porque queríamos um convívio entre amigos e foram poucas pessoas, mas fizemos questão de quando olhássemos para cada uma delas, nos dissessem alguma coisa. Estiveram as pessoas principais. Foi mais uma celebração com amigos, não mudou nada, porque já vivíamos juntos.

Não foram de lua-de-mel para fora...
Não por causa da gravidez, mas fomos para o Douro que é um sitio fantástico, lindíssimo e deu para descansar, que era o que precisávamos.

Vai trabalhar até poder?
Sim, felizmente não tenho aquele trabalho das nove as cinco que me obriga a estar de pé, por isso consigo conciliar e espero trabalhar até ela me deixar. Tenho-me sentido muito bem. Quando fiz o Verão Total, em que fazíamos 200 quilómetros por dia, sofri um bocadinho, porque ainda ninguém da equipa sabia. O que vale é que a barriguinha ainda era pequenina.

Já escolheram o nome?
Sim, Maria Inês. Foi uma escolha ao estilo de concílio, não dos deuses, mas de família (risos). Dizíamos todos um nome, mas Maria tinha de ser: eu sou Maria, a minha mãe também, a minha falecida avó, que era uma pessoa muito especial para mim, também era, também tenho uma sobrinha Maria, mas não podia ser só, então conjugámos tudo e chegámos ao Maria Inês.

Gostava que fosse uma menina?
Completamente indiferente! Até se ter a certeza que está tudo bem vivem-se uns momentos de angústia e foi um bocadinho complicado perceber o que era, porque ela se escondia. Mas fiquei tão feliz por ser uma menina, como se fosse um rapaz.

Já tem um filho, mas não fala nisso...
Para mim não faz sentido falar sobre isso. Claro que estou a partilhar agora a minha gravidez, porque trabalho em televisão e sei que as pessoas querem saber. Agora, tudo o resto, para mim, não faz sentido ser partilhado. Esta é minha maneira de ser, sou assim, reservada. Sei que isso até poderia “jogar” a meu favor, mas para mim, como pessoa, não faz sentido. Esta gravidez é visível, por isso não há volta a dar, mas atenção, partilho a minha princesa com todo o gosto.

Pode, pelo menos, dizer-me o nome e a idade do seu filho?
Também não, não leve a mal. Até mesmo em relação ao Pedro, sabem quem é porque apareceu na fotografia do casamento, senão não sabiam. Somos mesmo muito low profile.

O pai está muito envolvido na gestação?
Está maravilhado. Tem sido uma grande ajuda. O Pedro é uma pessoa muito especial e tem partilhado cada etapa comigo. Cada semana que passa, vamos os dois à Internet ver o que há de novo, “esta semana já começa a nascer o cabelo” (risos). Somos muito cúmplices e estamos a viver esta gravidez plenamente. Falo sempre no plural, porque é assim que temos vivido e é com alegria que digo isto.

Já pensa no parto, ou o facto de ter estudado enfermagem dá-lhe outra bagagem?
Isso tem facilitado imenso. Cada alteração que existe no meu corpo, seja física ou psicológica já lhe dou o devido desconto, consigo perceber o porquê. O curso tem-me ajudado bastante. Lembro-me perfeitamente de um parto a que assisti nessa altura, fui a primeira pessoa a pegar na bebé e aquilo ficou-me marcado. Lembro-me de ter pensado “como será quando tiver uma menina?”... E agora vou ter. Sempre vivi o parto como um momento muito especial e agora que sou eu a parturiente, sei como é que as coisas funcionam e o facto de ter estudado enfermagem deixa-me mais calma. Estou absolutamente tranquila.

E o excesso de informação, precisamente por ter estudado, não pode ser prejudicial, ou seja, acha que podiam fazer as coisas de forma diferente....
Também pode acontecer, principalmente quando as coisas correm menos bem. Mas vejo sempre o lado bom das coisas e vejo sempre tudo pela positiva. Estou muito tranquila, não estou minimamente preocupada.

E ansiosa por ver a carinha da Maria Inês?
É inevitável, mexe-se muito, é um amor.... estou ansiosa por a ver, mas penso muito em como será.

Já tem o quartinho dela pronto?
Ainda não, mas já estou de olho numa pecita ou outra (risos) . Vai ser uma princesa, com um quartinho muito mimoso, porque é a primeira filha e quero dar-lhe tudo o que puder. E uma vez que estamos a falar do futuro, importa dizer que tenho a sorte de o Pedro ter a mesma noção de educação que eu. Não sou muito rígida, mas gosto que as crianças percebam e vivam num mundo real e não numa redoma. Desde cedo fazemos questão que saiba como as coisas são. Não vai ser uma menina mimada, mas terá todo o carinho.

As meninas costumam ser mais pai...
Pois é, acho que nesse espeto vou ter de me impor (risos). Ele está babadíssimo! Vive tudo com um brilho no olhar.

Texto: Carla Simone Costa; Fotos: Bruno Peres; Produção: Nucha

Siga a Revista VIP no Instagram