Dia fatídico em Génova
Colapso da ponte Morandi mata pais e filho de oito anos

Internacional

Depois da tragédia desta terça-feira, dia 14 de agosto, em Génova, começam a surgir os nomes das vítimas mortais.

Qua, 15/08/2018 - 15:50

Esta terça-feira, dia 14 de agosto de 2018, a tragédia tomou conta da cidade de Génova, em Itália, com o colapso da ponte Morandi

Até ao momento, confirma-se a morte de 39 pessoas, entre as quais, três crianças.

Um dia depois do incidente, a imprensa italiana dá a conhecer algumas vítimas que perderam a vida neste fatídico acontecimento.

Samuele, com apenas oito anos, morreu ao lado dos pais, Ersillia Piccinino, de 41, e Roberto Robbiano, de 45. Tinham acabado de sair de casa e a ponte colapsou quando a atravessavam de carro, provocando uma queda de mais de 40 metros. O corpo da criança foi um dos primeiros a ser encontrado pelas equipas de salvamento, de acordo com o Corriere della Sera.

Um jovem casal de namorados também perdeu a vida neste desabamento. Marta Danisi, de 29 anos, e Alberto Fanfani, de 32, seguiam juntos no viaduto, quando o inesperado aconteceu. 

Elisa Bozzo, de 34, também se encontrava na ponte. Os amigos lançaram um apelo sobre o paradeiro da jovem, uma vez que não a conseguiam contactar. Mais tarde, confirmou-se o pior: a rapariga faz parte da lista dos mortos do incidente.

Mas as vítimas mortais não são apenas pessoas que passavam por cima da ponte que ruiu. Bruno Casagrande, de 35, e Mirko Vicini, de 31, eram trabalhadores da Amiu, empresa municipal do ambiente, e estavam em funções debaixo da Morandi. O corpo do primeiro foi encontrado, já sem vida, enquanto que o de Vicini continua desaparecido. Morreram soterrados pelas toneladas de ferro e cimento que «caíram dos céus». Alessandro Campora também perdeu a vida neste cruel episódio. O trabalhador de uma empresa privada estava debaixo da infraestrutura e não teve tempo de reagir.  

Jogador de futebol escapou da morte 

Domenico Criscito, de 31 anos, joga no Génova, e atravessou a ponte dez minutos antes de esta ter «desaparecido do mapa».

«Escrevo esta mensagem para todos aqueles que me estão a escrever preocupados comigo e com a minha família... Estamos todos bem, ainda que tenhamos atravessado aquela ponte exatamente dez minutos antes do colapso. Estou solidário com todas as famílias das vítimas... Não é possível que uma ponte de uma autoestrada possa cair assim. Não é possível! Temos de fazer alguma coisa por esta país... As pessoas escapam destas coisas... Precisamos de segurança, precisamos que alguém faça algo. Isto é uma miséria», escreveu o jogador num story do Instagram. 

Veja o vídeo do jogador enquanto passava a ponte, dez minutos antes do pior ter acontecido:

LEIA AINDA: A história do «condutor milagre» da ponte que ruiu em Génova 
Fotos: D.R., Reprodução redes sociais e Reuters.

 

 

 

Siga a Revista VIP no Instagram