Kika
De sem­-abrigo a estrela

Nacional

Venceu o concurso Factor X, da SIC, reunindo as condições para oferecer uma vida mais confortável aos dois filhos, Susana e Gabriel

Sex, 09/01/2015 - 00:00

Ano novo, vida nova. Esta é das expressões mais usadas nesta altura do ano e, por vezes, as palavras ganham uma dimensão muito real. Que o diga Ana Paula Cardoso, ou Kika, como já é conhecida, que viu a sua vida dar uma volta de 180º assim que entrou em 2015. Na noite que pôs fim a 2014, Kika foi a grande vencedora da segunda edição do concurso Factor X, da SIC, arrecadando 100 mil euros, um carro, um contrato com a Sony Music e tornando realidade o “melhor sonho” da sua vida. Além de marcar o começo de uma carreira a que sempre aspirou, estes prémios permitem­-lhe ter, a partir de agora, uma vida mais confortável.

 

É que a concorrente sempre enfrentou uma dura realidade, uma vida de privações, e teve uma infância conturbada, já que, com apenas 12 anos, viu­-se obrigada a viver na rua com a irmã, longe da mãe. Uma situação que durou dois anos, até reencontrar a sua progenitora, figura que, desde então, passou a assumir um papel primordial no seu percurso. 

 

Hoje com dois filhos, Gabriel, de sete anos, e Susana, de cinco, e mãe solteira, passou largos anos “perdida”, como a própria contou, a saltar de emprego para emprego, com uma falta de confiança tão grande que não a deixava perseguir a sua maior paixão: a música. Quando ganhou estabilidade, sobretudo psicológica, e incentivada pelos filhos, inscreveu­-se no talent show da estação de Carnaxide, uma decisão que viria a  revelar­-se a mais importante da sua vida. E quando mostrou pela primeira vez a potência da sua voz, os mentores e os portugueses souberam logo que era favorita na corrida à vitória. 

 

Assim, no passado dia 31 de dezembro, naquela que foi a noite de uma verdadeira viragem, Kika começou a grande final com algum nervosismo, até porque um vídeo, narrado pela própria, passou em resumo a sua história. Mas, depois da primeira prestação, em que cantou Girl On Fire, de Alicia Keys, admitiu que aquele momento era, sem dúvida, “espetacular”. 

 

Então, pouco depois das 12 badaladas que deram início a um novo ano e após uma segunda prestação, Cláudia Vieira e João Manzarra, que conduziram o programa, anunciaram o concorrente mais votado pelo público e o vencedor da segunda edição: a Kika. E depois de receber os abraços do seu mentor, Paulo Junqueiro, e da família, a vencedora ganhou algumas forças para dizer “obrigada”, a única palavra que conseguiu proferir, totalmente dominada pela emoção, e que dirigiu ao público e à produção. 

 

Ao longo das galas, a concorrente encantou todos com a sua voz e com a garra que depositou em cada canção. Tal como disse Manzarra, durante os festejos: “A Kika escreveu uma linha importante na história do talento em Portugal”. Depois, e enquanto as lágrimas de felicidade lhe corriam pelo rosto, Kika mostrou ser merecedora do título que havia acabado de conquistar e, controlando os sentimentos, atuou uma última vez no palco do programa, interpretando um tema da Sony Music Portugal, Thinking Out Loud, do jovem artista Ed Sheeran.

 

Agora, Kika tem nas  mãos a oportunidade de oferecer um futuro melhor aos dois filhos e à mãe, e de iniciar, aos 33 anos, finalmente, uma carreira profissional no mundo da música, desejos que já há muito queria concretizar. Chegou o momento de começar um novo capítulo da sua vida, onde a felicidade será, com certeza, protagonista.  

 

Texto: LRS; Fotos: Nuno Moreira e Impala

Siga a Revista VIP no Instagram