Gérard Depardieu
De gigolo a ladrão de túmulos...

Internacional

Na sua autobiografia, o ator revela toda a rebeldia atual e de anos passados

Qua, 08/10/2014 - 00:00

Recentemente, o ator francês chocou o mundo ao revelar que chegava a beber até 14 garrafas de vinho por dia com frequência. Na sua nova autobiografia, That's The Way It Was (ainda não lançada em Portugal), Depardieu volta a abordar o tema, com muitos mais pormenores.

Como explicação para os seus perigosos hábitos de bebida, o ator escreve: "Sou completamente obcecado com o funcionamento do meu corpo, o bater do meu coração, os murmúrios dos meus intestinos, os estalos das minhas articulações... tornou-se uma fobia tão grande que, se estiver sozinho num quarto de hotel, tenho de beber até não os ouvir, senão enlouqueço. Não consigo adormecer enquanto não estiver quase morto de bebedeira".

No mesmo livro, Depardieu relata a sua infância problemática em Châteauroux, onde terá começado a trabalhar como acompanhante masculino desde muito cedo, por se ter apercebido desde tenra idade que agradava a homossexuais.

Para além de ter roubado um carro na adolescência, crime pelo qual foi preso, o ator refere que ajudou um homem a roubar campas, desenterrando cadáveres recém enterrados e despojando-os de jóias e sapatos.

Depardieu revela ainda que a sua sorte só mudou em França quando um caça-talentos de um teatro gay lhe ofereceu a possibilidade de estudar drama.

Texto: LP; Fotos: Reuters

Siga a Revista VIP no Instagram