Cristiano Ronaldo e o caso Mayorga
«Quando as pessoas colocam em causa a nossa honra, dói!»

Nacional

Cristiano Ronaldo abre, pela primeira vez, a casa de Turim, em Itália, a um órgão de comunicação social e revela que «2018 foi, possivelmente, o ano mais difícil a nível pessoal».

Ter, 20/08/2019 - 21:44

Cristiano Ronaldo é um dos nomes mais importantes do futebol mundial. O craque nunca desistiu de ser o melhor jogador do mundo e com muito trabalho e dedicação conseguiu chegar ao topo dos topos. 

Na noite desta terça-feira, dia 20 de agosto, foi para o ar a primeira parte (de duas) da entrevista que CR7 concedeu a Joaquim Sousa Martins, da TVI

O jogador abre assim, pela primeira vez, as portas da sua mansão de Turim, em Itália, onde vive atualmente com a família uma vez que representa as cores da Juventus, a um órgão de comunicação social.

O filho de Dolores Aveiro começa por falar sobre a mudança para Turim, que considera a «grande mudança da sua vida». 

«Sair do Real Madrid foi difícil», conta o jogador, revelando que preparou Cristianinho (o filho mais velho) «durante meses» para a saída de Madrid, em Espanha. 

Orgulhoso, CR7 diz que o filho «fala bem português, inglês, espanhol e italiano».

«Pus a carne toda no assador»

«Quando tive a oportunidade de mostrar quem eu era, pus a carne toda no assador», brinca, em relação ao início da sua carreira, específicamente quando foi para o Sporting. No entanto, confessa que nunca pensou em ganhar uma bola de ouro... «quanto mais cinco!»

Apesar disto, garante que não vive obcecado com prémios individuais. 

«O Manchester United quis contratar-me logo para não me perder», atira. 

«Devo-lhe muito da minha carreira!»

Alex Fergunson, o treinador de Cristiano Ronaldo no Manchester United, é uma pessoa muito importante para o madeirense. «Devo-lhe muito da minha carreira!»

Por falar na carreira, o namorado de Georgina Rodríguez conta que «nunca pensou em deixar o futebol, mas o seu subconsciente mudou». No entanto, garante que vai continuar a desfrutar do desporto rei, apesar de «já não precisar do futebol para viver bem (financeiramente)». 

O astro admite que o projeto Junventus lhe despertou interesse, até porque queria sair da zona de conforto. «No Real Madrid sentia que já estava numa zona de conforto. Ganhei 17 ou 18 prémios. Sempre que ganhava mais um prémio, era só mais um». «Estou na Juventus para ganhar a Champions [Liga dos Campeões]», conta.

Entre gargalhadas, CR7 diz que Georgina «não percebe nada de futebol». 

«Há uns anos nem jantava quando perdia, mas não podemos viver com mágoa. Agora não. Consigo desligar-me dos problemas pessoais dentro de campo.»

O caso Mayorga e os crimes fiscais em Espanha

Cristiano Ronaldo foi acusado de violação por Kathryn Mayorga. O suposto crime remonta a 2009, num hotel em Las Vegas, EUA, mas só no fim do ano de 2018 é que a norte-americana decidiu acusar o português. Em julho deste ano o avançado foi ilibado do processo.

Também no ano passado Cristiano Ronaldo foi acusado de fuga ao fisco em Espanha, chegando mesmo a ir a julgamento. CR7 declarou-se culpado por quatro crimes de fraude fiscal e pagou 18,8 milhões de euros ao fisco espanhol. Ficou ainda com uma pena suspensa de dois anos de prisão

«2018 foi, possivelmente, o ano mais difícil a nível pessoal», garante o irmão de Katia Aveiro a Sousa Martins.  

«Quando as pessoas colocam em causa a nossa honra, dói. Tenho uma família grande, uma senhora, um filho de nove anos que já percebe. As pessoas que gostam de mim, os meus familiares, sabiam que eu estava inocente. É um caso que eu não me sinto confortável em falar, mas graças a Deus as coisas... uma vez mais ficou provado que eu era inocente... confirmou-se e eu fiquei orgulhoso», remata. 

Texto: Redação WIN/Conteúdos Digitais; Fotos: Reprodução Instagram 

 

 

 

 

   

Siga a Revista VIP no Instagram