BB2020
Psicóloga defende Diogo e arrasa Cláudio Ramos: «Assisti a um massacre psicológico!»

Nacional

A psicóloga Natacha Seixas saiu em defesa de Diogo depois de, na última gala, Cláudio Ramos ter advertido o concorrente para a sua postura perante alguns desafios que lhe são propostos pelo BB.

Seg, 13/07/2020 - 21:20

Natacha Seixas, inscrita na Ordem dos Psicólogos com a cédula nº 21587, veio a público criticar duramente o tratamento dado por Cláudio Ramos e pela própria TVI à instabilidade emocional contra a qual Diogo diz estar a lutar durante a sua participação no Big Brother 2020.

Em causa está a forma como o apresentador conduziu a conversa com o especialista em Marketing Digital, este domingo, durante a gala do reality show. Cláudio Ramos confrontou o concorrente com o facto de este se ter recusado a partilhar episódios da sua vida naquele que é um desafio proposto semanalmente a um participante (o momento é designado de Curva da Vida) e de, dias depois, ter negado um repto lançado pelo Big Brother. Nele, Diogo tinha de se olhar ao espelho e analisar o que via. Um exercício demasiado profundo e para o qual não estava preparado, alegou o próprio, que já tinha afirmado estar a lutar contra uma depressão.

«Assisti a um massacre psicológico. Como deixam isto acontecer?»

«Como psicóloga», Natacha Seixas dirige-se a Cláudio Ramos e à TVI para lamentar «a pressão e a crueldade a que Diogo Cunha» foi «sujeito» no confronto com o apresentador. «Que interrogatório maldoso. O Diogo não se importa de sofrer as consequências, o próprio o diz. Agora, assumam as consequências, expulsem, façam o que acharem melhor para o jogo e as audiências, mas não têm o direito de enxovalhar perante milhares de pessoas alguém que assume que está frágil mentalmente e ainda consegue, com toda a sua fragilidade, ser mais inteligente e ter o discernimento e a postura de manter a educação e serenidade», defende esta profissional, numa publicação feita nas redes sociais.

«O Diogo é o orgulho do programa. Se a psicóloga [que acompanha o concorrente, semanalmente, na casa mais vigiada do País] assegura a sanidade mental, você estragou tudo», acusa Natacha Seixas, referindo-se a Cláudio Ramos. «E não devia dar a sua opinião em relação aos outros. Muito mau o que acabou de fazer. Assisti a um massacre psicológico. Como deixam isto acontecer?», questiona.

«Isso é que me preocupa, a desvalorização da depressão»

«Por isso é que as pessoas se calam. Por isso é que as pessoas se escondem. Ir para debaixo da cama é uma questão de organização. Essas atitudes, sim, deveriam ser analisadas e incentivar não enxovalhar. É muito iliteracia emocional», alega ainda a psicóloga, que no site da clínica em que trabalha se apresenta como Mestre em Psicologia Clínica e de Aconselhamento, Licenciada em Psicologia e Psicopedagogia Curativa, Pós-graduada em Consulta Psicológica e Psicoterapia e Psicooncologista.

Dura nas palavras escritas, Natacha Seixas conclui: «O problema é milhares de pessoas assistirem, daí o meu alerta. [...] Pedir a alguém com depressão para se levantar da cama é o mesmo que pedir a um paraplégico para andar. Isso é que me preocupa, a desvalorização da depressão. A humilhação.»

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: reprodução TVI e redes sociais

Siga a Revista VIP no Instagram