Aos 91 anos, Maria de Lurdes, mãe de Maya, mantém intacta a lucidez e gosta de dar opinião sobre tudo. Apesar de não viverem na mesma casa, as duas são vizinhas e partilham tanto os assuntos banais da vida, como os mais importantes. A taróloga e apresentadora contou à VIP quem é a mulher que a educou e que, aos 55 anos, ultrapassou um cancro e recordou os tempos felizes e abastados que viveu em criança. 

 

VIP – Como define a sua mãe?

Maya – A minha mãe é uma grande mulher. Tem 91 anos e é uma mulher rija, faz uma vida normal, embora já com alguma dificuldade. Mas é muito lúcida, muito ativa do ponto de vista mental, muito interessada sobre o que se passa na família. 

 

São parecidas?

Não, nada. Eu sou toda o meu pai. Fisicamente não sou parecida com nenhum dos dois, saio à minha avó paterna, portanto, ainda assim, do lado do meu pai. Da minha mãe não tenho nada, nem o feitio porque ela é uma mulher muito introvertida, muito caseira, sempre foi muito boa gestora, muito poupada e agarrada ao dinheiro. Eu não. Eu sou muito extrovertida, muito de festa, vivo muito fora de casa, sou gastadora... Tenho tudo ao contrário da minha mãe (risos). 

 

Mesmo com essas diferenças dão-se bem?

Claro. Se a minha mãe viveu com o meu pai 50 anos e eu sou igual a ele... (risos). A minha mãe mora com o meu irmão, mas vivemos no mesmo condomínio. Partilhamos tudo. 

 

O que fazem juntas?

Todos os domingos, mesmo agora que eu estou no Algarve e que trabalho sábado à noite, venho almoçar com a minha mãe. Ela passa todos os domingos em minha casa, é uma coisa que gosta muito de fazer. Assim, reunimos a família, como já fazíamos no tempo do meu falecido pai.

 

E conversam muito as duas? Ela é sua conselheira?

A minha mãe dá muita opinião sobre tudo. Mesmo quando não pedimos, ela dá. É uma espetadora assídua do meu programa e, portanto, dá-me opinião sobre aquilo que vai vendo. Mas é também espetadora assídua de outros canais e como todos nós aqui em casa estamos ligados à televisão, a conversa gira sempre muito em torno disso. Mas fala sobre tudo: sobre a nossa vida, sobre as nossas empregadas de casa, enfim, sobre tudo.

 

Qual foi o ensinamento mais precioso que ela lhe passou?

Que a família está em primeiro lugar. A minha mãe esteve casada 50 anos com o meu falecido pai. Foi uma relação cheia de incompatibilidades, porque eram pessoas muito diferentes, mas ela defendeu sempre o casamento e a família. 

 

Leia a entrevista completa na edição número 875 da revista VIP

 

Texto: Laura Ribeiro Santos; Fotos: Liliana Silva; Produção: Romão Correia; Cabelo e maquilhagem: Ana Coelho, com produtos Maybelline e L’Oréal Professionnel

Siga a Revista VIP no Instagram