Andreia Rodrigues quebra o silêncio sobre o pai
«Tenho uma esperança lá no fundo, de que o meu pai volte a ser o meu pai»

Nacional

Andreia Rodrigues emociona-se ao falar da relação difícil que mantém com o pai, Sérgio Condesso, de quem está afastada

Sex, 05/04/2019 - 11:54

Foi em lágrimas que Andreia Rodrigues abordou a relação que mantém com o pai em entrevista a Cristina Ferreira. A apresentadora da SIC e Sérgio Condesso vivem uma relação difícil. Estão afastados ao ponto de que o progenitor não assistiu ao casamento da estrela da SIC com Daniel Oliveira. Na altura do enlace, Andreia Rodrigues afirmou sentir-se abandonada. «Eu hoje em dia não tenho uma relação com o meu pai. Não que eu tivesse escolhido, ele fez a escolha dele. Eu tive de lidar com a ideia do abandono, da culpa», disse na altura, no Alta Definição.

Agora na entrevista que deu a Cristina Ferreira, Andreia Rodrigues garante guardar boas memórias da infância, mas admite que precisou recorrer a terapia para lidar com episódios negativos que viveu. 

«A Alice tem o melhor pai do mundo. Em relação ao meu, guardo as memórias da minha infância (emocionada). E desejo para a Alice um pedacinho daquilo que eu também tive, até determinada altura da minha vida», declara emocionada. 

 

«Às vezes, é-me difícil perceber, mas aceitei. Perdoei»

 

Depois, diz que ao longo dos anos foi resolvendo na sua cabeça o afastamento dos dois. «Precisei resolver, porque a vida continua e eu tive de continuar. Perdoei o que tinha de ser perdoado. É a vida dele e eu respeito isso. Por isso mesmo, nunca expus, porque é a vida dele […] Às vezes, é-me difícil perceber, mas aceitei. Perdoei. E ainda acredito, ainda sonho com um dia em que aquilo que eu vivi vai voltar a acontecer, não comigo, mas com a Alice. Tenho uma esperança lá no fundo, de que o meu pai volte a ser o meu pai», diz emocionada.

Apesar de quase nunca abordar este assunto, a mulher de Daniel Oliveira alonga-se nas declarações sobre o pai e admite que teve pena que o progenitor não tivesse pegado a neta ao colo quando esta nasceu. «Sim, mas continuo a sonhar com isso. E esta esperança para mim é essencial. Na altura, há uns anos, fiz terapia, porque para mim foi preciso arrumar as ideias e perceber», desvenda,  garantindo que não sente rancor. «Eu vou estando próxima tanto quanto consigo estar e a situação permite. Acreditando que um dia isto vai passar, porque eu não tenho qualquer tipo de mágoa. Não há nada que me prenda ao passado menos bom. Não há rancor», afirma.

 

«A minha mãe sempre foi mãe e pai» 


Andreia diz ainda que teve esperança que o nascimento da Alice ajudasse a resolver este afastamento entre pai e filha, mas isso não aconteceu. «Não vejo nisso falta de amor. É amor à maneira dele», considera.


Afastada do pai, Andreia Rodrigues apoiou-se na mãe, que se reformou para ajudar a filha a tomar conta de Alice. «A minha mãe sempre foi mãe e pai. E a minha mãe nunca me afastou daquilo que é essencial, a família. […] Sempre me fez agarrar as boas memórias e, quando as menos boas vinham, ela ajudava sempre a libertar e a seguir em frente e a focar-me naquilo que é essencial».

Texto: Redação Win – Conteúdos Digitais; Fotos: Impala e reprodução redes sociais                                                         

Siga a Revista VIP no Instagram