Ana Guiomar
«Quero ter um filho com o Diogo. Só porque é prático»

Nacional

Ana Guiomar revela pormenores da vida pessoal e da relação com Diogo Valsassina: «Fazer de casal, foi terrível»

Sáb, 22/06/2019 - 17:00

Ana Guiomar abriu o coração em entrevista a Daniel Oliveira e revelou vários pormenores da vida pessoal e da relação com Diogo Valsassina. Aos 30 anos, Ana Guiomar diz ser uma pessoa com muito «mais paciência», «ponderada» e que consegue meter-se melhor no «lugar dos outros». 

A namorada de Diogo Valsassina sempre quis ser adulta e em miúda «não ia à casa-de-banho dos pequeninos, ia à dos adultos». «Nunca gostei da escola, eu às vezes tornava as disciplinas umas palhaçada», revela ainda, entre gargalhadas. «Eu lembro-me de estar na janela da escola e pensar que queria ser adulta, queria conduzir, ter autonomia. Adoro ser adulta», diz.

Os dois irmãos, de 23 e 25 anos, são o melhor que os pais lhe podiam ter dado. «Não tive ciúme nenhum quando eles nasceram. A coisa que mais gosto é dos meus irmãos. É um presente. Acho que todos deviam ter irmãos», conta Ana Guiomar.

Mulher segura e resolvida com a vida, o rosto da SIC fala sobre a separação dos pais sem traumas, nem tristezas. «Eles separaram-se quando eu era muito miúda, mas foi uma separação super saudável. Eles falam-se e dão-se bem», revela. Foi com a avó que cresceu e com quem tem uma relação muito boa. Foi ela quem a influenciou a ser uma pessoa «mais compreensiva, a ter respeito com as pessoas mais velhas, a ser justa». A cumplicidade que existe entre as duas faz com que Ana Guiomar consiga perceber, só com um olhar, o que a avó está a pensar.  

 

«Só para aí ao terceiro ano é que me lembrei que eu tinha um ordenado»


A Patrícia da série Golpe de Sorte, a nova série da SIC, admite que foi a profissão que a «escolheu». «Eu lembro-me que quando comecei a fazer Morangos Com Açúcar só para aí ao terceiro ano é que me lembrei que eu tinha um ordenado. Porque para mim aquilo era diversão. Quando me ligaram a dizer que tinha ficado na série eu não tive o sentimento de 'eu vou aparecer na televisão'. Foi uma felicidade...apetecia-me correr ou sentir vento. Não sei porquê», explica.

Questionada por Daniel Oliveira se alguma vez quis «pisar o risco», ou seja, beber álcool, ou consumir drogas, Ana Guiomar foi muito esclarecedora. «Aí, não, não, eu tenho muito medo de morrer. Dás-me uma aspirina e dizes-me que é droga e eu já estou drogada», afirma, entre risos. «Claro que, como todos os jovens, já experimentei. Quando saio à noite gosto de beber um copo», diz.

Diogo Valsassina e Ana Guiomar não se apaixonaram «à primeira vista». «Ele era super irritante. Magrinho e depois com aquele cabelo... Ele continuou sempre irritante, até ao dia em que eu tomei iniciava e fui», conta. «E houve um dia, no dia 1 de junho, eu ainda me lembro...estávamos a almoçar e estava lá o Vintém e o Cifrão e eu pensei: 'eu não sei se gosto muito dele, mas eu acho que sim e fui lá e beijei-o'».

 

«Há fases que se ama mais e outras menos»

 


Ao falar de amor, a atriz da série da SIC é muito prática e sem romantismos. «Eu acho que o amor não é só amor. Há várias camadas, existe uma data de coisas. Há fases que se ama mais e outras menos. Eu não sou daquelas pessoas que acha que vai ficar com o Diogo para sempre. Uma coisa é certa, eu quero ter um filho com o Diogo. Só porque é prático, queremos o mesmo nome e tudo: Alice. Por questões práticas, o Diogo está ótimo para ser o pai. Já viste a trabalheira que era agora acabar com ele?», questiona.


Daniel Oliveira pergunta-lhe se essa forma de pensar «não desfaz uma certa ideia romântica»? Com a resposta na ponta da língua, Ana Guiomar diz: «Não porque a velhice está relacionada com o amparo... já viste o que é chegarmos lá os dois e já viste o amparo que houve a vida toda? A ideia é romântica, mas a vivência para mim é que é romântica», explica. 
O casal já teve fase menos boas, mas continua junto de pedra e cal. «Eu acho que um dia, se nos separarmos - espero bem que não porque o amo - eu acho que ele vai ficar sempre na minha vida, porque eu o admiro», admite, para a seguir contar que não gosta de trabalhar com o namorado.

«Fazer de casal, foi terrível. A novela Amor Maior foi das novelas que gostei menos de fazer. Trabalhámos juntos, mas foi provavelmente a fase pessoal em que tivemos mais afastados um com o outro. Porque eu acho que o amor está muito relacionado com a admiração e como não trabalhamos da mesma maneira, nós deixámo-nos de admirar um bocadinho.[...] O Diogo esteve três anos sem fazer nada em televisão, aquilo que ele aguentou enquanto pessoa, eu não teria aguentado, eu não sei se tinha força. Ele vivia quase só para mim e eu trabalhava muito. Eu voltei a apaixonar-me perdidamente pela pessoa que o Diogo é, por isso é que eu acho que o amor está ligado com a admiração», termina.

 

«Eu tenho muito medo de ser mãe»

Se a atriz ganhasse o Euromilhões já tinha planos para o dinheiro. «Primeiro toda a gente à volta da minha família ia ficar ótima. Depois comprava um terreno, porque é um sonho que tenho com os irmãos, e depois vivíamos todos juntos», revela. «A família é importante porque nós precisamos sempre de alguém. A minha experiência diz-me que quero continuar a ter esta mesma ideia de família e quero que a minha família seja muito forte, quero criar a minha tribo», diz.

Ana Guiomar tem medo da maternidade. «Eu tenho muito medo de ser mãe», revela. «Mas o pior momento de todos foi quando o meu irmão Leonardo, aos 19 anos, foi para Moçambique viver. Foi duro», conta, acrescentando que todos os dias fala com os irmãos.

 

Texto: Carolina Sá Pereira; Fotos: Impala

 

Siga a Revista VIP no Instagram