Cerca de duas semanas depois de Manuel Maria Carrilho ter contado que foi fisicamente agredido por Bárbara Guimarães, surge uma nova notícia de conflitos entre o ex-casal. Segundo o depoimento de testemunhas, citadas por uma publicação – duas das quais Manuel Maria Carrilho identifica como sendo um casal amigo de Bárbara –, o antigo ministro da Cultura terá maltratado física e verbalmente a ex-mulher, aquando da Festa das Famílias, que decorreu no dia 30 de maio, no Colégio do Sagrado Coração de Maria, em Lisboa, a escola onde estudam Dinis, de dez anos, e Carlota, de três, os filhos de Bárbara e Carrilho.

Os pais de outras crianças presentes no evento terão afirmado que Carrilho empurrou a apresentadora da SIC e deu-lhe ainda um estalo. Em conversa com a VIP, o professor catedrático refuta, indignado, estas acusações veiculadas por outra publicação:

“É tudo falso. Não entrei com a Bárbara, não houve nenhuma sala de espetáculo, aquilo é ao ar livre, é tudo falso. Eu cruzei-me com ela apenas quando estava a trocar a roupa da Carlota, depois da atuação. Ela foi lá dar-lhe os parabéns, falou com a filha e depois vim-me embora, porque era o meu fim de semana com as crianças. Isso é uma coisa completamente falsa e injuriosa, baseada em testemunhos anónimos. Estávamos numa festa com cerca de 700 pessoas e é impossível que eu, Manuel Maria Carrilho, e Bárbara Guimarães não tenhamos sido vistos a não ser por estas duas pessoas, que, curiosamente, são um casal que anda sempre atrás dela e que são os pais de um colega do Dinis, que já me tinha dito que não queria mais falar com eles.”

Segundo o professor, este casal amigo da apresentadora, que conduz o reality show O Poder do Amor, “passa o tempo a dizer ao Dinis que o pai é uma má pessoa” e, por isso, conclui que estes testemunhos “têm sido encomendados” pela mãe do menino.

Ao fim de dez anos de casamento, Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho separaram-se em outubro do ano passado e, desde então, têm protagonizado inúmeras polémicas. Em breve, Carrilho vai responder em tribunal no processo de violência doméstica, visto que o Ministério Público emitiu uma acusação formal, na sequência da queixa apresentada por Bárbara Guimarães. A este respeito, o professor diz: “Eu estou muito tranquilo, estou de consciência absolutamente tranquila, sobretudo porque tudo o que a Bárbara diz é montado.“ A queixa que Carrilho fez contra Bárbara, também de violência doméstica, foi arquivada.

Texto: Laura Ribeiro Santos; Fotos: Tito Calado

Siga a Revista VIP no Instagram