Katia Aveiro foi convidada por Fábio Porchat para uma entrevista. Foi no Brasil, para a TV Record, que a cantora falou das dificuldades que sente no dia-a-dia por ser irmã de CR7. A artista lamenta que os portugueses não reconheçam o seu talento e frisa que canta desde pequenina, muito antes do futebolista brilhar em campo. 

“Gravei um disco de originais já com 23 anos, mas desde pequenina que cantava já na ilha da Madeira. Tudo o mundo pensa que é tudo maravilha, mas não é. Há coisas muito complicadas. Para mim como artista, é muito complicado, porque o povo exige mais de mim. O povo não acredita no meu talento porque acham: 'a Katia canta porque é irmã do Cristiano Ronaldo' e não é verdade. O meu esforço tem de ser a triplicar. É muito difícil quando nós gostamos muito de fazer uma coisa e alguém duvida da tua capacidade, do teu esforço e dedicação. Em Portugal, o povo português exige muito de nós, mas eu continuo na luta, não desisto”, referiu. 

Mas nem tudo é mau. “O lado bom é o orgulho que ele dá a toda a família. Todos os dias ele mos surpreende. Quando achamos que o Cristiano já ganhou tudo, vem o Cristiano e ganha mais qualquer coisa. Nós vivemos muito o futebol, nós vivemos a vida dos irmãos todos, vibramos de alegria com tudo o que cada um conquista. Obvio que o Cristiano ganha mais coisas, logo mais felicidade nos dá. Ele é bom irmão, é bom filho, é bom pai. (…) nunca fiquei um mês sem o ver. (…) Ele é um irmão presente, que  se preocupa, é um figura na família que está presente constantemente”.

Na mesma entrevista, Katia Aveiro comentou o busto polémico de Cristiano Ronaldo, inaugurado no  Aeroporto da Madeira. 

Fotos: Impala 

top Nacional