Internacional

Brasil
Emoção e dor no funeral de Domingos Montagner

Apesar de terem decorrido à porta fechada, o clima de dor e consternação sentiu-se durante as exéquias do ator brasileiro

As cerimónias fúnebres de Domingos Montagner decorreram no passado sábado, no Teatro Fernando Torres, em São Paulo, e decorreram à porta fechada, apenas sendo possível a presença de familiares e amigos próximos.

 

O enterro do ator, que pereceu afogado no Rio São Francisco, decorreu de seguida num cemitério da mesma cidade. 

 

Domingos Montagner foi encontrado morto a 18 metros de profundidade e a 320 metros da Prainha de Canindé do Rio São Francisco, preso a algumas rochas no fundo do rio.

 

O ator nadava com a atriz Camila Pitanga, com quem fazia par romântico na telenovela Velho Chico, e que ficou em choque com o sucedido.

 

Durante as exéquias em São Paulo, estiveram presentes muitos amigos, familiares e colegas de profissão do ator, que não conseguiram esconder a dor e a consternação à chegada à igreja e ao cemitério onde ficaram sepultados os restos mortais do ator.

 

Domingos Montagner iniciou a carreira em teatros e circos e, em 1997, formou o grupo La Mínima, tendo ganho o Prémio Shell de Melhor Ator. Em 2003, fundou o Circo Zanni, do qual foi diretor artístico.

 

Três anos depois, começou a carreira na televisão e ganhou notoriedade ao interpretar o Capitão Herculano, na telenovela Cordel Encantado (2011), Mundo em Jóia Rara (2013), e Miguel em Sete Vidas (2015). No cinema, participou no filme Gonzaga: De Pai para Filho (2012), de Breno Silveira.

 

Recorde imagens da vida e carreira de Domingos Montagner e veja como decorreram as cerimónias fúnebres na nossa galeria.

 

Fotos: AG News

top Internacional